segunda-feira, fevereiro 14, 2011

A língua portuguesa

A primeira gramática em língua portuguesa, de que se tem conhecimento, data do século XVI, publicada em Lisboa em 1536 com o nome de “Grammatica da lingoagem portuguesa”, de Fernão de Oliveira.

Por incrível que pareça, até então, o português era utilizado livremente, havendo liberdade tanto na escrita como na fala. Uma mesma palavra poderia ser escrita de diversas formas.

Fernão de Oliveira (1507 – 1581) era natural de Aveiro (Portugal) e foi um dos expoentes renascentistas portugueses. Com este livro passou a fazer parte do seleto grupo de gramáticos do renascimento que se dedicavam à descrição das suas línguas maternas. Possuía um espírito crítico e humanista e, além de gramático foi igualmente historiador, cartógrafo, piloto, teórico de guerra e de construção naval.
A gramática de Fernão de Oliveira com 50 capítulos foi publicada num período, em que Portugal procurava afirmar a sua autonomia nacional, em relação às outras nações. Era relativamente importante passar para a escrita um sistema linguístico coeso, que caracterizava uma nação e um povo, diante da forte imposição do latim como a única língua “nobre” e culta.
Fernão de Oliveira estabeleceu um sistema ortográfico para a língua portuguesa e definiu a “arte que ensina a bem ler e falar”. Ele deu destaque aos aspectos sonoros da língua e criou regras de sintaxe. dedicou seu livro a D. Fernando de Almada, e pode-se ver na capa, o brasão de armas dos Almadas.
 ...peço a quem conhecer meus erros que os emende. 
E todavia não murmurando em sua casa, porque desfaz em si.
Fernão de Oliveira (1507-1581),
nas palavras que fecham o último capítulo
de sua Grammatica da Lingoagem Portuguesa


Quatro anos mais tarde, em 1540, João de Barros (1496-1570), contemporâneo de Fernão de Oliveira, publicou sua "Grammatica da Língua Portuguesa" juntamente com o Diálogo em Louvor de nossa Linguagem, obras que veem valorizar e afirmar a língua portuguesa.
 
João de Barros nasceu provavelmente em Viseu (Portugal) e foi um importante historiador e cronista da expansão portuguesa.
Veja estes exemplos abaixo:

  
As duas primeiras gramáticas seguiam a mesma filosofia humanista: a exaltação da língua portuguesa.


Outras seguiram: 

1536 – Fernão de Oliveira, Grammatica da Lingoagem Portuguesa
1540 – Joao de Barros, Grammatica da Lingua Portuguesa
1574 - Pero de Magalhães de Gandavo, Regras que ensinam a maneira de escrever a hortografia da língua portuguesa com um diálogo que adiante se segue em defensão da língua portuguesa
1576 – Duarte Nunes de Leão, Orthographia
1606 – Duarte Nunes de Leão, Origem da Lingoa Portuguesa
1619 – Amaro de Reboredo, Methodo Grammatical para todas as Lingoas
1631 – Álvaro Ferreira de Vera, Breves Louvores da Lingua Portuguesa
1721 – Jeronimo Contador de Argote, Regras da lingua portuguesa, espelho da lingua latina
1736 – Luis Caetano de Lima, Ortografia
1739 – João de Madureira Feijo, Ortografia
1746 – Verney, Verdadeiro Methodo de Estudar
1782 – Jeronimo Soares Barbosa, Grammatica Philosophica da Língua Portuguesa.



No Brasil, a primeiro livro de gramática foi publicado em 1829 e chamava-se o Compêndio da Grammatica Portugueza, do padre Antônio da Costa Duarte.  Este livro destacava aspectos de fonética, morfologia e sintaxe e destinava-se às ao ensino do idioma nas "Escolas de Primeiras Letras".


saiba mais:  

Um comentário:

Francisco Nuno Ramos disse...

Parabéns por este seu blogue.
Somos o Observatório da Língua Portuguesa (http://observatorio-lp.sapo.pt). Visite-nos e colabore. Abraço. Francisco Nuno Ramos