segunda-feira, maio 30, 2011

Lenda do João de Barro

Conta a lenda indígena que, há muito tempo, numa tribo  indígena do sul do Brasil,  o jovem Jaebé se apaixonou pela mais bela moça do lugar. 
Ao pedi-la em casamento, o pai da moça perguntou-lhe que provas ele daria de seu amor. Jaebé encheu-se de coragem e disse:
"As provas do meu amor!"
O  velho respondeu: "O último pretendente da minha filha disse que ficaria cinco dias em jejum e morreu no quarto dia." Ao que  Jaebé disse: "Eu digo que ficarei nove dias em jejum e não morrerei."
Toda a tribo se espantou com a coragem do jovem apaixonado!
O velho ordenou que se desse início à prova. Enrolaram o rapaz num couro de anta muito pesado e ficaram a vigiá-lo dia e noite, para que ele não saísse nem fosse alimentado.  A jovem chorou e implorou à Lua que o mantivesse vivo.

O tempo foi passando e ao quinto dia, a filha pediu ao pai para não o deixar morrer.
O pai respondeu: "Ele é arrogante. Falou nas forças do amor, por isso vamos ver o que acontece." E esperou até a última hora do nono dia. Então ordenou: "Vamos  ver o que resta do arrogante Jaebé."
Quando abriram o couro da anta, Jaebé saltou ligeiro.
Os seus olhos brilhavam e o seu sorriso tinha uma luz mágica.
A pele estava limpa e cheirava a perfume de amêndoa.

Todos se espantaram e ficaram ainda mais impressionados, quando o jovem, ao ver a sua amada, se pôs a cantar como um pássaro enquanto o seu corpo, aos poucos, se transformava no corpo de um pássaro!
Naquele  momento, os raios do luar tocaram na jovem que também se transformou num pássaro.
Reza a lenda, que ambos sairam boando e desapareceram para sempre. 

Contam os índios que foi assim que nasceu o pássaro joão-de-barro!

Nenhum comentário: