Wednesday, July 03, 2013

A tradição na hora de vestir - segunda parte


Moçambique


Fonte da imagem
A capulana (ou kanga, ou pano, ou pagne), é um pano de algodão,  colorido que variam de província para província, usado pelas mulheres moçambicanas de várias formas: como saias, vestidos ou até na cabeça. Mais ainda, por vezes são utilizadas pelas mães, para transportar os bebés aconchegados às costas numa capulana especial, o ntehe, para terem as mãos livres para as tarefas domésticas. Geralmente numa família comprava-se um ntehe novo para cada novo bebé.

Fonte de imagem
Na vida de uma mulher moçambicana, todos os atos importantes são marcados pela capulana, usam-nas em cerimónias e momentos especiais das suas vidas.
O chamado mukume ni vemba, é um conjunto clássico no Sul de Moçambique. É constituído de duas capulanas cortadas numa mesma peça de pano. A maior, a mukume, com a sua renda branca, vai amarrada à cintura e a menor, a vemba, traz-se pelos ombros, como um xaile.

Com mukume ni vemba usa-se normalmente uma blusa de corte simples, cor lisa e de mangas cingidas. Como acessórios usam-se muitas pulseiras e brincos discretos. 
O uso da capulana remonta de tempos anteriores aos descobrimentos, mas foi com as viagens dos portugueses à Índia que aumentou o comércio destes panos de algodão. Eram trocados em Moçambique por produtos de grande valor comercial como ouro, marfim. Muitos comerciantes estrangeiros tinham por obrigação oferecer panos às mulheres dos líderes e comerciantes africanos com quem faziam comércio. Assim tornou-se um acessório habitual no vestuário das mulheres moçambicanas.

Portugal

Na região do Minho em Portugal existe um traje típico, geralmente associado a grupos de folclore, e que varia de aldeia para aldeia, tanto nas cores como nos adornos e acessórios usados.  

Fonte da imagem

O " Traje à moda do Minho", "à Vianesa" ou também conhecido por "Traje à Lavradeira", é um vestuário feminino, de festa, apenas usado em dias especiais e por moças de algumas aldeias do concelho de Viana-do-Castelo. 
No traje feminino, sobre a camisa com bordados azuis, a mulher minhota usa um colete que funciona como espartilho. O colete é decorado por bordados coloridos. A saia rodada é marcada por uma larga barra bordada com os mesmos motivos do colete. Por sua vez, o avental é decorado com “puxados” que deixam o avental com um relevo interessante. Esta é uma técnica especial usada em tecidos feito nos teares manuais. A algibeira reforça a beleza da mulher com a sua forma de coração, tendo como utilização prática o transporte de dinheiro e do lenço.
A mulher minhota calça meias de renda brancas e chinelas de pele bordadas com motivos florais, vegetais e geométricos. Na cabeça usa um lenço de fundo vermelho com barra estampada com motivos florais, vegetais e cornucópias. A cor do lenço pode variar dependendo da região. 

O ouro é um acessório típico e originanalmente era usado pelas moças quando ficavam noivas, tendo sido oferecido pelos sogros consoante as suas possibilidades económicas.

Fonte da Imagem
Também para o homem existe um traje típico, o traje domingueiro, composto por calça, camisa e jaqueta. A camisa branca é decorada com bordados tradicionais minhotos, com motivos amorosos.
A cor vermelha da faixa e dos bordados confere ao conjunto um contraste alegre, uma vez que todo o traje é negro.  



São Tomé e Príncipe

Fonte da Imagem
 O traje típico de São Tomé e Príncipe é usado com grande elegância ao dançar a Ússua”, uma dança de salão típica. 

As mulheres vestem quimono acompanhado de saias compridas, túnicas e lenços colocados a rigor na cabeça. Já os homens usam calças e sapatos pretos, camisas brancas, casacos e gravatas. O homem usa também um chapéu de palha deslocado para o lado da cabeça e uma toalha que serve para limpar o suor e não manchar a roupa.

Timor-Leste

Fonte da Imagem
   Taís, são panos multicoloridos fabricados artesanalmente, através de uma forma de tecelagem criada pelas mulheres de Timor-Leste. Estes panos são utilizadas para a ornamentação cerimonial, decoração e vestuário. Usa-se principalmente o algodão e que é tingido com corantes naturais muitas vezes preparados pelas próprias artesãs. As imagens e os padrões de Taís variam muito de região para região, mas muitas vezes eles incluem mensagens de localidade e eventos significativos.

Fonte da Imagem

Fonte da Imagem

Os homens usam tradicionalmente a tais mane, que enrolam ao redor da cintura. As mulheres usam o tais feto, uma forma de vestido sem alças. Um terceiro tipo conhecido como Selendang, consiste num pano fino ao redor do pescoço, que se tornou popular nos últimos anos.

Em cerimônias oficiais, o tais é usado junto com plumas, ouro, coral ou prata. Este traje é usado nas danças, junto com adornos típicos de Timor-Leste.

Os homens colocam um lenço na cabeça sobre o qual aplicam a
kaibauk, uma lua de metal com aplicações de pequenas lágrimas e espigas, a surik, espada guerreira, e o belak, disco de metal suspenso ao peito, completam o traje dos homens. As mulheres usam a kaibauk, além da ulum suku, para prender os cabelos, e do sasuit, pente de dentes largos. Usam geralmente ao peito o mortene, colar feito de materiais diversos, e à cintura um pano branco. Por fim, a lokum ou kelui, uma pulseira de metal usada pelos homens no braço e pelas mulheres no antebraço.

Mais informação:


No comments: