Friday, August 16, 2013

Monumentos Tombados pela UNESCO no Brasil - Parte III - Região Sudeste - Estados do Rio de Janeiro e São Paulo

1) Rio de Janeiro: 
Paisagens entre a montanha e o mar 


Baia da Guanabara em 1555
A cidade do Rio de Janeiro, no Estado de Rio de Janeiro é a segunda maior cidade do Brasil e possui um centro urbano excepcional com uma natureza exuberante desde os pontos mais altos das montanhas do Parque Nacional da Tijuca até ao mar. 

Diz-se que o Rio de Janeiro fica imprensado entre o Oceano Atlântico e a montanha.


A Baía de Guanabara, onde a cidade do Rio de Janeiro se desenvolveu, foi descoberta por Gaspar de Lemos no dia 1 de janeiro de 1502 e daí deriva o seu nome.


Em 1555, os franceses, capitaneados por Nicolas

Durand de Villegagon invadiram a Baía de Guanabara, mas foram expulsos no ano seguinte pelos portugueses. 
Mesmo assim, persistiram na região até que Estácio de Sá, vindo diretamente de Portugal com missão de expulsar definitivamente os franceses remanescentes na Baia da Guanabara e fundar ali uma cidade.

Assim no dia 1 de março de 1565, nascia a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro entre o morro Cara de Cão e o morro do Pão de Açucar.


O desenvolvimento da cidade do Rio de Janeiro foi lenta até a chegada da família Real em 1808, quando transformou-se em centro do império português.


Logo tornou-se o maior centro comercial do Brasil e o príncipe regente Dom João VI criou diversos estabelecimentos de ensino como a Academia Militar, a Escola Real de Ciências, Artes e Oficios, Academia Imperial de Belas Artes, a Biblioteca nacional e o Jardim Botânico.


Cristo Redentor
Jardim Botânico
O Rio de Janeiro foi a capital do Brasil entre 1763 e 1960, quando Brasília, a atual capital do Brasil foi inaugurada.


Em 2012, o Rio de Janeiro passou a ser Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO na categoria de Paisagem Cultural e Cenário Urbano.


Rio de Janeiro 
O Património se estende desde a entrada da Baia da Guanabara, à enseada de Botafogo. 
Conta também com os Morros do Pão de Açucar e Cara de Cão, assim como a orla da Praia de Copacabana e os pontos mais altos das montanhas do Parque Nacional da Tijuca.


Imagens do Rio, que mostram a baía, o Pão de Açúcar e a estátua do Cristo Redentor, tiveram um fator de alto reconhecimento em todo o mundo, desde meados do século XIX.  

A bela paisagem do Rio de Janeiro foi e continua a ser a inspiração para muitas formas de arte, literatura, poesia e música como a famosa canção 'Aquele Abraço' de Gilberto Gil. 


Confira o vídeo com letra aqui:

                     
 


2) Reservas de Mata Atlântica do Sudeste

Fonte da Imagem
Há 513 anos atrás, quando os portugueses chegaram ao Brasil, a paisagem dominante na costa brasileira era a Floresta Atlântica, caracterizada por sua mata densa e exuberante com árvores gigantescas. 
A primeira atividade econômica da colônia brasileira foi a exploração do pau-brasil (caesalpina echinata), começando, assim, o desmatamento da Mata Atlântica.

Uma das características mais importantes do pau-brasil é sua resistência por ser uma madeira pesada com a presença interna de um corante vermelho. Por sua qualidade, o pau-brasil é muito usado na fabricação de instrumentos musicais como violinos, harpas e violas. (saiba mais).

Grande parte da Mata Atlântica foi sendo desmatada com a extração intensa da madeira que era levada para Portugal para ser vendida no mercado europeu e para a fabricação de móveis.
O pau-brasil deu o nome ao país conhecido até então como Terra de Santa Cruz.

O desmatamento também serviu para ampliar a plantação de cana-de-açúcar e do café, para a extração de ouro e para a construção de cidades. 
Atualmente, a presença do pau-brasil é baixa na Mata Atlântica e existe uma lei federal brasileira que considera crime o corte ilegal desta árvore. (saiba mais).

No dia 3 de maio comemora-se o dia do
pau-brasil.

Fonte da Imagem
Com a crescente preocupação com a conservação da Mata Atlântica, foram criadas reservas naturais pelo Governo Federal Brasileiro e no dia 1 de julho de 2012 esta grande área natural foi tombada pela UNESCO na categoria de Paisagem Cultural. 
As Reservas de Mata Atlântica localizam-se nos Estados de Paraná (Região Sul) e de São Paulo (Sudeste), oferecendo um dos melhores e mais vastos exemplos do Bosque Atlântico brasileiro. São 25 áreas protegidas com uma área de aproximadamente 470.000 metros quadrados que exibem uma riqueza biológica única, pois uma grande parte da vegetação e dos animais nativos desta região não se encontram em nenhum outro lugar do mundo.


Fonte da Imagem


3) Reservas de Mata Atlântica da Costa do Descobrimento 



Como o nome mesmo sugere, nesta região, em 22 de abril de 1500, a esquadra de Pedro Álvares Cabral desembarcou pela primeira vez na costa brasileira. Aqui se encontram as primeiras formações urbanas da colonização portuguesa, como a cidade de Porto Seguro, além de inúmeros sítios arqueológicos históricos e pré-históricos.


Fonte da Imagem
As Reservas de Mata Atlântica da Costa do Descobrimento localizam-se nos Estados de Bahia (Região Nordeste) e Espírito Santo (Região Sudeste), contendo 8 zonas protegidas/reservas naturais separadas entre si.

Na sua totalidade são cerca de 112 mil hectares de mata atlântica e arbustos autóctones que se designam de "restingas".


Fonte da Imagem

Os bosques úmidos da costa atlântica do Brasil possuem a biodiversidade mais rica do planeta, abrigando uma ampla gama de espécies endêmicas (únicas a esse local), ilustrando um modelo de evolução biológica de grande interesse para a Ciência e para a Conservação do Meio Ambiente. 





Fonte da Imagem
As Reservas de Mata Atlântica da Costa do Descobrimento são constituidas pelos Parques Nacionais do Monte Pascoal, (o primeiro monte avistado por Pedro Álvares Cabral), do Descobrimento, do Pau Brasil, pelas reservas biológicas de Una e Sooretana e também por três reservas particulares. 


Foi declarada Patrimônio Mundial da UNESCO no ano de 1999.


Com este post terminamos a terceira parte dos monumentos e áreas tombadas pelo UNESCO na região sudeste do Brasil.


A primeira parte pode ser lida aqui
A segunda parte pode ser lida aqui 



Bibliografia


No comments: