Monday, October 07, 2013

O céu dos navegadores

Caravela portuguesa
Que os portugueses chegaram às Américas e à África nas caravelas, todos estão cansados de saber. Mas você sabia que a astronomia foi fundamental para os navegadores lusos realizarem tal feito? 

As caravelas e demais embarcações utilizadas pelos portugueses se orientavam no mar pelo conhecimento sobre os peixes, os ventos e as correntes marítimas, mas também pela posição das estrelas.

Os primeiros marujos tinham de confiar na navegação por estima. Isso exigia que o navegador estivesse a par de três informações importantes: 

O ponto de partida do navio 
A velocidade
O rumo (direção do movimento) 


Saber o ponto de partida era fácil. 
Mas como determinar o rumo?



Bússula
Em 1500, Pedro Álvares Cabral usou uma bússola para verificar seu rumo. As bússolas tornaram-se disponíveis na Europa no século XII, mas antes disso, os navegadores consultavam o Sol e as estrelas. 

Quando nuvens ocultavam a visão, os marinheiros orientavam-se pelas ondas oceânicas longas e regulares produzidas por ventos constantes. Eles prestavam atenção à posição do nascente e do poente do Sol e das estrelas em relação a essas ondas.

O nascente e o poente indicavam o leste e o oeste. Ao amanhecer, os marinheiros podiam perceber o aparente desvio do Sol em relação ao dia anterior, comparando a localização do nascente com as estrelas que se desvaneciam.

Os instrumentos usados na época das grandes nevegações tinham nomes esquisitos, como astrolábio e balestilha. 

Astrolábio
O astrolábio permite medir a altura do Sol sobre o horizonte e, usando algumas tabelas associadas a operações matemáticas, é possível medir a latitude de uma embarcação. 

Uso da balestilha
A latitude é uma das coordenadas que nos localizam na superfície da Terra. 

A outra é a longitude, que não permitia aos navegadores se orienterem no mar.

A balestilha é uma espécie de régua graduada, que permite medir os ângulos entre as estrelas.

Os navegadores sabiam muito bem como usar a balestilha no hemisfério Norte, onde a Estrela Polar é visível. Ela indica a direção norte da Terra e facilita a vida dos navegadores.


Estrela Polar
Mas no hemisfério Sul não existe uma estrela brilhante perto do polo Sul celeste, e por isso os navegadores se orientavam por constelações, como o Cruzeiro do Sul.

Cruzeiro do Sul
O Cruzeiro do Sul é uma constelação, ou conjunto de estrelas, em forma de cruz avistada pela primeira vez em 1455, na costa da África. Com o início da expansão marítima no hemisfério Sul, ela se tornaria tão importante como a Estrela Polar para a orientação dos navios.

E como era estimada a velocidade? 

Um modo era medir o tempo que o navio levava para passar por um objeto que alguém, na proa (parte da frente da embarcação), jogasse na água. 

Nós
Posteriormente, um método mais preciso envolvia soltar no mar um pedaço de madeira amarrado a uma corda graduada por nós feitos a intervalos regulares. A madeira, flutuando na água, puxava a corda conforme o navio avançava. Depois de um tempo predeterminado, a corda era recolhida e os nós que haviam sido puxados pela madeira eram contados. Este número indicava a velocidade do navio em nós - milhas marítimas por hora -, unidade de medida que é utilizada ainda atualmente. 

Sabendo a velocidade, o navegador poderia calcular a distância percorrida pelo navio em um dia. 

Em uma carta náutica (um mapa do mar) ele traçava, então, uma linha para indicar seu avanço ao longo do rumo escolhido.

Bibliografia:

No comments: