Monday, November 11, 2013

11 de novembro: Angola comemora 38 anos de Independência



Luanda, a capital de Angola

Apesar de Luanda, sua capital, ser mais antiga do que Nova Iorque, Angola pode ser considerada um país jovem, pois obteve sua independência em 11 de novembro de 1975 e, portanto, hoje comemora 38 anos de vida independente!



Rio Congo


Anteriormente à do Brasil, a colonização portuguesa em Angola teve início no século 15, quando em 1482 uma frota portuguesa chegou à foz do rio Congo, e seu comandante, o navegante Diogo Cão, estabeleceu relações imediatas e alianças com o Reino do Congo, o antigo império tribal situado no território onde hoje está localizada Angola.




Angola em 1883

A colônia portuguesa em Angola efetivou-se em 1575 com a chegada do navegador Paulo Dias de Novais com mais de 100 famílias de colonos e 400 soldados. 


Durante a ocupação colonial portuguesa foram fundadas cidade, vilas e postos de comércio, e abertas rodovias e ferrovias.



O MOVIMENTO PELA INDEPENDÊNCIA


Luta angolana pela independência
A ocupação portuguesa continuou até o século 20, quando esta começou a deparar-se com as transformações históricas que rondavam o mundo todo. Em 1950, começou a se articular em Angola uma resistência anticolonial e nacionalista, ou seja, contra a colonização portuguesa, e a favor da independência do país. 
Assim, em 1961 teve início a Guerra de Independência de Angola.

Nessa mesma época, ocorria em Portugal a chamada Guerra Colonial ou Guerra de Libertação, período de confrontos entre as Forças Armadas Portuguesas e os movimentos organizados pela libertação das antigas províncias ultramarinas de Angola, Guiné-Bissau e Moçambique

Revolução dos Cravos 

A Guerra Colonial, iniciada em 1961, durou até 1974, ano em que chegou ao fim com a Revolução dos Cravos em Portugal, no dia 25 de abril.


A partir dessa data foram abertas perspectivas imediatas para a libertação e independência de Angola, pois os novos dirigentes de Portugal puderam anunciar a democratização do país e se propuseram a aceitar as reivindicações de independência das colônias. 

Primeira página do jornal "A Capital" 

O novo governo revolucionário português iniciou negociações com os três principais movimentos de libertação: o MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola), a Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA) e a UNITA (União Nacional para a Independência Total de Angola).

Após a independência, em 11 de novembro de 1975, esses três partidos passaram a disputar o poder no país recém-independente e inciou-se uma guerra civil que durou 27 anos e que terminou com a vitória do MPLA - partido que está no poder até hoje - em 4 de abril de 2002.


A DEMOCRATIZAÇÃO DE ANGOLA

Agostinho Neto
Desde 1992, ano das primeiras eleições gerais, a democracia multipartidária governa Angola. No âmbito de uma ampla programação que conduzia o país para a modernidade, progresso e riqueza, novas eleições foram realizadas em 2008. O MPLA, que governou desde a Independência, soube preservar a identidade nacional e dele saíram os dois presidentes que Angola teve até o momento.   
José Eduardo dos Santos





O primeiro, Agostinho Neto, fundador da Nação Angolana, e o segundo e atual Presidente da República, o engenheiro José Eduardo dos Santos, que se tornou, quando eleito em 1979, o mais jovem presidente do continente africano, com apenas 37 anos.

ANGOLA E OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO

Os 8 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio estabelecidos pela ONU
Motivo de orgulho para os angolanos é a posição que Angola atualmente ocupa em relação aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. 

Segundo o Relatório de Monitoramento do Desenvolvimento dos Objetivos do Milênio (Banco Mundial e FMI) de 2011, Angola se aproxima do cumprimento de boa parte dos Objetivos, e será o único país da África Subsaariana a cumprir os objetivos traçados para o saneamento básico em 2015.


Bandeira angolana 
 A independência de Angola também está presente em sua bandeira.


A bandeira de Angola contém a cor vermelha, que representa o sangue derramado durante as lutas pela independência, e a cor preta, que representa o continente africano. Em amarelo, cruzados no centro, estão uma roda dentada, que simboliza a indústria, e uma catana, instrumento usado no campo. A estrela representa os trabalhadores angolanos. 

11 ANOS DE PAZ
"O pensador", um dos símbolos de Angola

Nesses 11 anos de paz em Angola o MPLA, em conjunto com a UNITA e outras forças políticas, segue gerindo de forma otimista e vigorosa a reconstrução de um dos países de futuro mais promissores de toda a África.




No comments: