Monday, November 25, 2013

25 de novembro - Las Mariposas

Dia Internacional pela Não Violência contra a Mulher
Irmãs Mirabal
Dia Internacional da não violência contra a mulher

Criado em 1981 para homenagear as irmãs MirabalPátria, Minerva e Maria Tereza, conhecidas como Las Mariposas, nascidas na República Dominicana e ativistas políticas que foram brutalmente assassinadas em 1960, pelo governo de Rafael Trujillo.

Instituído durante o Primeiro Encontro Feminista Latinoamericano e do Caribe realizado em Bogotá na Colômbia.


Em 1993 a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou a Declaração sobre a eliminação da violência contra a mulher.



"todo ato de violência baseado no gênero que tem como resultado possível ou real um dano físico, sexual ou psicológico, incluídas as ameaças, a coerção ou a proibição arbitrária da liberdade, já seja que ocorra na via pública ou na via privada".


Em 1999 a Assembleia Geral da ONU proclamou mundialmente o dia 25 de Novembro como Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres como forma de lembrar os governos a promoverem atividades de sensibilização contra a violência contra as mulheres.

Este ano vista-se de "cor de laranja" e participe dos "16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres"

Atualmente, a campanha ocorre em 159 países. Vai do dia 25 de novembro (Dia Internacional da Não Violência contra as Mulheres) a 10 de dezembro (Dia Internacional dos Direitos Humanos). 

No Brasil, a campanha começou no dia 20 de novembro (Dia Nacional da Consciência Negra) para destacar a dupla discriminação sofrida pelas mulheres negras.

O secretário da campanha "UNIDOS PELO O FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES" proclamou todo dia 25 de cada mês como "dia de vestir cor de laranja"



A violência contra as mulheres é uma questão social e de saúde pública. 

Mais de 100 países no mundo não têm nenhuma lei específica contra a violência doméstica e cerca de 70% de mulheres já sofreram algum grau de violência física ou sexual.


Entre 500 mil a 2 milhões de pessoas são traficadas anualmente e forçadas a prostituição, servidão e escravidão.

80% destas pessoas são mulheres.

A violência afeta a capacidade das mulheres de terem sucesso na escola, no trabalho ou na vida pública e diminuem sua capacidade de alcançar a igualdade de gênero.


Vários países do mundo irão promover hoje, atividades de conscientização.

Em Portugal, será realizada a primeira edição das Jornadas Contra a Violência Doméstica, na Escola de Direito da Universidade do Minho (Braga). 
Este evento é organizado pela Associação Portuguesa de Apoio à Vitima (APAV) e pela Escola de Direito da Universidade do Minho e a ELSA - European Law Students' Association.
Também o Secretariado Executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em conjunto com a Plataforma Portuguesa das ONGD e o Centro Regional de Informação das Nações Unidas (UNRIC), comemoram o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres com a exibição do filme UMOJA, dos realizadores Jean Crousillac & amp; Jean-Marc Sainclair.



O filme relata a época entre 1970 e 2003, em que centenas de mulheres da etnia Samburu revelearam ter sido violadas por soldados britânicos no norte do Quénia.


Estas mulheres foram acusadas de envergonhar a sua comunidade e posteriormente agredidas e repudiadas pelos maridos.

Elas juntaram-se e criaram UMOJA, uma aldeia onde os homens são proibidos, onde rapidamente se tornou o refúgio das Mulheres de  Samburu.

Lembre-se!

Há crimes...
Há vítimas... 

Há quem precise ser ajudado, apoiado, aconselhado.

Ad series for UN Women by Memac Ogilvy & Mather Dubai

Assista ao vídeo 


Bibliografia:

http://apav.pt/apav_v2/index.php/pt/vitima/vitima

http://www.unwomen.org/en/
http://www.plataformaongd.pt/
http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/brasil/2013/11/23/interna_brasil,475412/rio-faz-campanha-de-combate-a-violencia-contra-a-mulher.shtml
www.UN.org



No comments: