sexta-feira, novembro 15, 2013

Dia Mundial da Prematuridade

Dia Mundial da prematuridade
O nascimento prematuro é a maior causa de morte entre bebês recém-nascidos, atingindo mais de um milhão de mortes a cada ano. No entanto, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, 75% das vidas poderiam ser salvas sem cuidados caros e de alta tecnologia.

Essa é a mensagem principal e o tema do Dia Mundial da Prematuridade. Um esforço global para aumentar a conscientização sobre as mortes e incapacidades devido à prematuridade e sobre as medidas simples, comprovadas e de baixo custo que poderiam impedi-las.

Campanha Facebook
Iniciado no ano passado pelo March of Dimes e pela EFCNI (European Foundation for the Care of Preterm Infants), o Dia Mundial da Prematuridade é comemorado em 17 de novembro.

Este ano, mais de 50 países em quase todas as partes do mundo vão tomar medidas para aumentar a conscientização sobre o que pode ser feito para reduzir nascimentos prematuros e garantir melhores cuidados para os bebês nascidos muito cedo.

Famílias afetadas pelo nascimento prematuro podem compartilhar histórias, fotos e vídeos, e identificar suas localizações em um mapa interativo do mundo em facebook.com/worldprematurityday.

Bebê prematuro
Bebês nascidos entre 32 e menos de 37 semanas completas de gestação compõem 85% dos 15 milhões de bebês prematuros nascidos por ano no mundo.

Os países com maior número de nascimentos prematuros anualmente são: Índia – 2.959.300; China – 981.050; Nigéria – 665.080; Paquistão – 633.640; Indonésia – 564.350; Estados Unidos da América – 438.410; Bangladesh – 355.030; Filipinas – 295.780; República Democrática do Congo – 291.750; e o Brasil – 233.320.

Entre os países de língua portuguesa, segundo as estatísticas da saúde da OMS, Angola apresenta uma taxa de 55 partos prematuros a cada 100 nascidos vivos e a morte por prematuridade representa 13% das morte de crianças menores de 5 anos no país.

O Brasil não só está entre os países de maior número de casos por ano, como a prematuridade representa 22% das mortes de crianças menores de 5 anos. No país, a taxa de nescimentos prematuros é de 6 a cada 100 nascidos vivos.

Cabo Verde apresenta uma taxa de 32 nascimentos prematuros a cada 100 nascidos vivos, e essa condição é responsável por 15% das mortes de crianças menores de 5 anos.

Bebê prematuro
Em Guiné-Bissau, a taxa é de 11 partos prematuros por 100 nascidos vivos, e a prematuridade representa 11% das mortes de menores de 5 anos em todo o país.

Em Moçambique, a prematuridade também é responsável por 11% das mortes de crianças com menos de 5 anos, mas o país apresenta uma taxa de 16 partos prematuros a cada 100 nascidos vivos.

Portugal, o único país de língua portuguesa no continente europeu, apresenta a taxa de 8 partos prematuros a cada 100 nascidos vivos, e essa condição é responsável por 17% das mortes de menores de 5 anos.

São Tomé e Príncipe apresenta uma taxa de 11 partos prematuros a cada 100 nascidos vivos e a morte por prematuridade representa 15% das morte de crianças menores de 5 anos no país.

Em Timor-Leste a prematuridade é responsável por 19% das mortes de crianças com menos de 5 anos, e o país apresenta uma taxa de 12 partos prematuros a cada 100 nascidos vivos.

CUIDADOS ESSENCIAIS

Alguns fatores de risco para as mães darem à luz prematuramente foram identificados, incluindo uma história prévia de parto prematuro, baixo peso, obesidade, diabetes, hipertensão arterial, tabagismo, infecção, idade (ou menores de 17 anos ou maiores de 40), genética, gravidez múltipla (gêmeos, trigêmeos, etc.) e gestações muito próximas.

Além desses fatores, a pobreza, a falta de educação para a mulher, a malária, o HIV e outros fatores sociais e ambientais também parecem exercer um grande papel na prematuridade.

Cuidados essenciais ao nascer são especialmente importante para os bebês prematuros. Isso significa mantê-los quentes, limpos e bem alimentados, e garantir que os bebês que têm dificuldade em respirar tenham atenção imediata.

Três intervenções de baixo custo que são muito eficazes, mas não são muito utilizados são:

Método Mãe Canguru
Injeções de esteróides - Quando administrada em mães em trabalho de parto prematuro, a dexametasona, um esteróide usado para tratar a asma, ajuda a acelerar o desenvolvimento dos pulmões do bebê. Com um custo de cerca de 1 dólar americano, duas doses podem impedir bebês prematuros de entrar em insuficiência respiratória ao nascer. Esta medida pode impedir 400.000 mortes por ano.

Método Mãe Canguru - Usando esta técnica, o bebê entra em contato “pele-com-pele” com o peito da mãe. Isso mantém o bebê aquecido e facilita a amamentação. Manter os bebês prematuros aquecidos é especialmente importante, porque seus corpos pequenos perdem calor rapidamente, tornando-os altamente vulneráveis ​​a doenças, infecções e morte. Isso poderia evitar 450.000 mortes por ano.


Além disso, antibióticos básicos podem salvar vidas, como a amoxicilina no tratamento da pneumonia e injeção de antibióticos para combater infecções graves.

Bibliografia:

Um comentário:

alexandra disse...

òtimo post,

Porque será que as crianças que nas prematuras depois crescem tanto? rsrsr