Monday, February 10, 2014

Sarampo: Do começo até aos dias de hoje


Sarampo
Sarampo é uma doença viral.
Uma infecção do sistema respiratório, causada por um paramixovírus do género Morbillivirus
É altamente contagiosa e afeta principalmente crianças.


História
Império Romano e Sarampo

O sarampo hoje é uma doença predominantemente da infância apesar de todas as pessoas estarem sujeitas a contraírem o vírus. Depois da introdução da vacinação a mortalidade caiu bastante, mas nem sempre foi assim.

A introdução do vírus nas Américas foi concomitante à descoberta do continente por Cristóvam Colombo.
Como os nativos não possuiam defesas imunológicas para esta e outras doenças trazidas pelos europeus, a mortalidade que provocou foi enorme. 

O sarampo foi um dos principais responsáveis pela destruição das populações nativas da América. Juntamente com a Varíola, Varicela e outras doenças, matou mais de 90% da população do continente, derrotando e destruindo as civilizações Asteca e Inca.

A doença era desconhecida antes da era cristã. Hipócrates não descreveu nada parecido. 

Imagina-se que a epidemia tenha surgido na Europa entre os séculos II e III d.C., dizimando grande parte da população não imune do Império Romano.

Segundo alguns autores acredita-se que a queda do Império Romanos possa ter sido causada por doenças antes desconhecidas como a varíola, sarampo e a varicela que diminuíram a população enormemente ao ponto de serem decretadas leis sobre a hereditariedade das profissões, postos oficiais e redução à servidão dos agricultores anteriormente livres. 

Há quem considere que este fato possa ter dado origem ao feudalismoNesse caso a nesta situação de debilidade, os povos germânicos e outros encontraram a oportunidade de se estabelecer em terras quase desertas. No inicio com a permissão dos oficiais romanos, desesperados com a queda dos rendimentos fiscais. 

Só depois desta época a varíola e o sarampo tornaram-se frequentes na Europa. 
Império Han-Fundador
Imagina-se que o mesmo panorama tenha ocorrida na China comprometendo da mesma forma o Império Han. Acredita-se que as doenças foram importadas da Índia e talvez não por coincidência que foi precisamente nos século I e século II DC que as rotas comerciais para a Índia e a rota da seda para a China foram estabelecidas pela primeira vez, ligando as regiões com grande débito de mercadorias e comerciantes.

A primeira descrição reconhecível do sarampo é atribuída ao médico árabe Ibn Razi (860-932) (conhecido como Rhazes na Europa). O vírus foi isolado apenas em 1954, e a vacina foi desenvolvida em 1963.

Sintomas


Sintomas
O sarampo é uma doença infecciosa aguda, viral, transmissível, extremamente
 contagiosa e muito comum na infância. 

Os sintomas iniciais apresentados pelo doente são: febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular e corrimento do nariz. Após estes sintomas, geralmente há o aparecimento de manchas avermelhadas no rosto, que progridem em direção aos pés, com duração mínima de três dias. Além disso, pode causar infecção nos ouvidos, pneumonia, ataques (convulsões e olhar fixo), lesão cerebral e morte. 
Posteriormente, as bactérias podem atingir as vias respiratórias, causar 
diarréias e até infeções no encéfalo. Acredita-se que estas complicações 
sejam desencadeadas pelo próprio vírus do Sarampo que, na maior parte das 
vezes, atinge mais gravemente os desnutridos, os recém-nascidos, as 
gestantes e as pessoas portadoras de imunodeficiências.


Transmissão

Transmissão
A transmissão ocorre diretamente, de pessoa a pessoa, geralmente por tosse,espirros, fala ou respiração, por isso a facilidade de contágio da doença. Além de secreções respiratórias ou da boca,também é possível se contaminar através da dispersão de gotículas com partículas virais no ar, que podem perdurar por tempo relativamente longo no ambiente, especialmente em locais fechados como escolas e clínicas. doença é transmitida na fase em que a pessoa apresenta febre alta, mal-estar, coriza, irritação ocular, tosse e falta  de apetite e dura até quatro dias após o aparecimento das manchas vermelhas.

  Prevenção

Vacinação
A suscetibilidade ao vírus do sarampo é geral e a única forma de prevenção é a vacinação. Apenas os lactentes cujas mães já tiveram sarampo ou foram vacinadas possuem, temporariamente, anticorpos transmitidos pela placenta, que conferem imunidade geralmente ao longo do primeiro ano de vida (o que pode interferir na resposta à vacinação). Com o reforço das estratégias de vacinação, vigilância e demais medidas de controle que vêm a ser implementadas em todo o continente americano desde o final dos anos 90, o Brasil e os demais países das Américas têm conseguindo manter as suas populações livres da doença. Atualmente, há o registro de casos importados que, se não forem adequadamente controlados, podem resultar em surtos e epidemias. Os principais grupos de risco são as pessoas de seis meses a 39 anos de idade. Dentre os adultos, os trabalhadores de portos e aeroportos, hotelaria e profissionais do sexo apresentam maiores hipóteses de contrair sarampo, devido à maior exposição a indivíduos de outros países que não adotam a mesma política intensiva de controle da doença. As crianças devem tomar duas doses da vacina combinada contra rubéola, sarampo e caxumba (tríplice viral): a primeira, com um ano de idade; a segunda dose, entre quatro e seis anos. Os adolescentes, adultos (homens e mulheres) e, principalmente, no contexto atual do risco de importação de casos, os pertencentes ao grupo de risco, também devem tomar a vacina tríplice viral ou dupla viral (contra sarampo e rubéola).

Graças a vacinação, em todo o mundo o número de casos de sarampo caiu 60% de uma estimativa de 873.000 mortes para 345.000 em 2005. As estimativas para 2008 indicam que o número de mortes caiu para 164.000, com 77% das mortes restantes por sarampo ocorrendo na região do Sudeste Asiático.
Em 2000, 72% crianças foram vacinadas. Em 2008 esse número já aumentou para 83%. A meta é que 95% delas sejam imunizadas até 2015.

  Epidemiologia



Epidemiologia

Áreas mais prejudicadas pelo sarampo em 2002 segundo a OMS. África e 
sudeste asiático são as áreas mais afetadas.


A Organização Mundial de Saúde estima que a mortalidade anual por Sarampo tenha atingido mínimos históricos,caindo 78%,de 5620000 mortes no ano 2000 para 122000 em 2012.A razão principal para esta queda de mortalidade é a vacinação.Apesar dos resultados positivos,estes progressos são desiguais,com algumas populações ainda desprotegidas contra esta doença.


Neste momento,o Brasil está perante um surto de Sarampo,na região de Fortaleza,que levou a uma vacinação em massa da população da região. 



Bibliografia
  1. ↑ Ir para:http://www.who.int/topics/measles/en/
  2. Ir para cima http://www.saude.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=527
  3. Ir para cima WHO Weekly Epidemiology Record, 4th December 2009 WHO.int
  4. Ir para cima http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ms000245.pdf
  5. Ir para cima http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/sarampo/
  6. Ir para cimadoi:10.1002/14651858.CD001479.pub3. PMID 16235283.
  7. Ir para cima http://www.euro.who.int/__data/assets/pdf_file/0003/142176/WHO_EPI_Brief__May_2011e.pdf
  8. Ir para cima Rotem, Tamar (August 11, 2007). "Current measles outbreak hit ultra-Orthodox the hardest". Haaretz. Retrieved 2008-07-10.





No comments: