Monday, March 17, 2014

Instrumentos Musicais - Angola

A música sempre fez parte da história do homem.

Os instrumentos musicais e os sons característicos de cada lugar, região ou país são muitos e se misturam formando diferentes musicalidades.
Os instrumentos musicais são também característicos e muitas vezes únicos formados com os mais diversos materiais.

Museu do Instrumento Musical
Assim, nesta nossa tarefa de divulgar o que existe de diferente nos países de língua portuguesa, vamos apresentar alguns instrumentos musicais que são a identidade de um país, de um povo!

Angola

KISANJI

Kisanji
O povo angolano nutre uma grande estima e gosto por este instrumento que tem um som relativamente fraco mas fluído. É usado em caminhadas longas, para afastar a solidão ou a saudade. 
Serve também como fundo musical quando se contam histórias à volta da fogueira.

Para o camponês angolano o kisanji é um companheiro que escuta seus desabafos, seus desejos e aflições cantadas baixinho ao mesmo tempo que dedilha o instrumento.

O kisanji, quissange ou tyitanzi é uma tábua rectangular, tendo montada na metade superior um cavalete de ferro constituído por um aro rectangular onde se apoiam as lamelas. Também pode ser chamado de lamelofone.

No sentido transversal, um travessão apoia-se sobre as teclas, e é apertado por ganchos à tábua. É frequente as lamelas serem de ferro, direitas ou espatuladas e ligeiramente levantadas do lado onde as dedilham.

Dependendo das localidades são feitos com mais ou menos lamelas e com caixas de ressonancia podendo ser utilizadas cabaças para as substituir. Quando assim é, adoptam os seguintes nomes: kalimba ou karimba (Uganda), mangambeu (Camarões), kond (Serra Leoa), likembe, budongo, mbila, mbira (Zimbabwe), entre outros.



MPUNGI

Mpungi
Mpungi, trombeta da realeza Kikongo que serve para anunciar as cerimónias fúnebres ou a investidura do rei. É um instrumento musical elaborado a partir de ponta de elefante, aerofone e considerado como símbolo da realeza. É utilizada para anunciar mensagens a longas distâncias, ou para entoar acordes quando o chefe máximo está presente em ocasiões ou cerimónias especiais.

A instância máxima do poder político tradicional (o rei ou seu descendente direto), deve possuir entre os seus objectos de valor três Mpungi. A cifra três é indispensável para continuidade da realeza: rei, rainha e sucessor. Makukua Matatu Malambile Kongo, as três pedras onde assenta a panela, o local de convívio e troca de ideias. Tirando uma delas é impossível cozinhar, porque não há equilíbrio.

Nas cerimónias que obrigam a presença do rei, os cânticos são acompanhados com os três Mpungi, sendo dever do seu detentor cuidá-los com a maior atenção e deferência, conservando-os em lugares especiais.

Bibligrafia:

  • Redinha, José. Kisanji Instrumentos Musicais de Angola: Sua construção e descrição.  Instituto de antropologia ed. Coimbra: Universidade de Coimbra, 1984. 
  • http://petrinus.com.sapo.pt/quissanje.htm
  • http://www.mincultura.gv.ao/criacao_plastica.htm

No comments: