Monday, March 31, 2014

Instrumentos musicais - Moçambique

bendi
bendi
Bendi ou Babiton é um instrumento cordófono, em que o som é produzido através do dedilhar de uma corda é composto de um tambor de madeira forrado num dos lados com uma membrana de pele de animal. Para tocar, coloca se a varra sobre o tambor de modo a esticar a corda, que ao ser dedilhado, produz sons fortes e baixos. O tambor serve de caixa de ressonância. Existe em muitos distritos de Tete.


chitende
chitende
Chitende é um instrumento cordófono do tipo arco musical, possui uma caixa de ressonância, é composta por uma cabaça, com abertura virada para o exterior. Para tocar, o músico pega no instrumento, encostando a abertura da cabaça ao peito, num movimento de vaivém, ao mesmo tempo que com os dedos de uma das mãos faz pressão sobre o fio e com a outra, segura uma palheta que serve para peculiar o arame. É bastante usado na região Sul do Save e no Centro em Sofala (Búzio).


Chivoconvoco é um instrumento cordófono, pertencente ao grupo dos arcos musicais, constituído por um arco de madeira e uma corda, o pau do arco atravessa uma cabaça ou casca de coco, cuja abertura é tapada por uma membrana feita de pele de animal. O fio que une as pontas do arco passa por cima da cabaça, que serve de caixa de ressonância. Numa das mãos, o tocador segura um pau afiado, com que bate na corda. É abundante nas províncias de Maputo e Gaza.
chivocovoco
Chivoconvoco
pankw
Pankwé
Pankwé é um instrumento da classe dos cordófonos, o som é produzido, dedilhando as várias cordas que possui, com apoio de uma caixa de ressonância, feita de cabaça. Coloca-se um fio de arame contínuo sobre uma tábua de madeira, uma das extremidades dessa, penetra numa cabaça ou então as duas extremidades são colocadas sobre duas cabaças, ficando assim o Pankwé com duas caixas de ressonância. Muito utilizado nas três províncias do Norte de Moçambique e Norte da província Central da Zambézia.


Tchakare é um instrumento cordófono, em que a corda passa directamente por cima da caixa de ressonância, assim como acontece na viola. A caixa de ressonância é feita de madeira, coberta por uma membrana de lagarto. O tocador segura o instrumento de modo a que a caixa fique encostada ao seu abdómen ou ao seu ombro. Com uma das mãos, faz pressão sobre a corda para variar o som. É abundante nas províncias de Inhambane, Zambézia, Tete, Nampula, Cabo Delgado e Niassa.
tchacare
Tchakare
nhacatangali
Nhcatangali
Nhacatangali é um instrumento do tipo cordófono, o arco é feito de caniço e a corda é feita de fio de sisal, o tocador coloca a boca numa das pontas do arco, serve de caixa de ressonância, sendo o som produzido pela percussão do fio, através dos dedos ou de uma palheta. Produzido e usado nas províncias de Manica, Sofala e Tete.    


ngulula
Ngulula


Ngulula é um instrumento com uma característica especial, isto é, o som é produzido pelo friccionamento de um caniço, formado por um tambor ou caixa de madeira redonda, tapado nas extremidades com pele de animal, cujas pontas estão ligadas ou cosidas entre si. É muito usado na província de Maputo.


mutoriro
Mutoriro
Mutoriro é um instrumento aérofono do tipo flauta em que o som é produzido através do sopro, constituído por uma cana de bambu fechada nas pontas e dotada de quatro orifícios, um dos quais junto à embocadura; para variar o som, o tocador tapa e destapa os três buracos calçando-os com os dedos. Produzido e tocado nas províncias do Sul e Centro em Manica e Tete.


mpundu
Mpundu
Mpundu é um instrumento de sopro do tipo trompete, feito apenas de um chifre e um furo, onde o tocador põe a boca para soprar, enquanto uma das mãos segura a parte mais grossa e a outra a parte mais fina. É tocado em todo o país.

Mbila é um instrumento idiófono, do tipo xilofone, muito conhecido não só em Moçambique, como em outros países de África e na Indonésia. Em Moçambique é tocado nas províncias de Inhambane, Sofala, Manica e Tete.
mbira
Mbila
masseve
Masseve
 Masseve é um instrumento idiófono do tipo chocalho, assim como gocha, porém, enquanto este é utilizado nas mãos, o Masseve utiliza-se nas pernas. É feito de frutos pequenos, secos e ocos, colocados em várias fiadas e amarradas. Os chocalhos acompanham o rítimo da dança, auxiliados por outros instrumentos. É usado em todo o país.

malimba
Malimba
Malimba é um instrumento de tipo xilofone, mas pertencente ao grupo dos idiófonos, constituído por uma cabaça de forma oval, aberta na parte superior. Sobre esta abertura fica suspensa uma tábua de madeira, segura se por cordas atadas a dois paus, arqueados, estes paus estão seguros `a cabaça com cera de abelha. Para tocar, o músico pega numa baqueta com um anel de borracha na ponta, com que percute a única tecla de madeira, ao mesmo tempo que vai tapando e destapando a abertura da cabaça, para variar o som. Produzida e tocada na província de Tete.


Makwilo é um instrumento idiófono do tipo xilofone, composto por dois troncos de madeira, podem ser também de coqueiro, sobre os quais assentam as teclas, feitas das árvores de umbila, presas numa das pontas com pregos de madeira. O espaço entre as teclas e o chão, funciona como caixa de ressonância. Produzido e tocado em Cabo Delgado, Niassa, Nampula e Zambézia.

makuilo
Makwilo
mlapa
M'lapa

M’lapa é um instrumento do tipo membranófono, que requer uma habilidade especial para tocar, mbila é um tambor relativamente pequeno, com uma membrana de pele de Piton (espécie de gibóia) humedecida, o que faz com que produza um som bastante baixo. O tocador segura-a entre os joelhos e toca-o com as mãos ao mesmo tempo. É muito conhecido nas províncias da Zambézia, Nampula, Cabo Delgado e Niassa.

gocha
Gocha
Gocha é um instrumento que se distingue dos outros arcos musicais pelo facto deste produzir o som com fricção de uma varinha sobre as incisões gravadas no arco da madeira. Este som é auxiliado pelos chocalhos postos na varinha e pela boca. Produzido e usado nas províncias do Sul e Centro (Manica e Sofala).

Chiquitsi, pertence a categoria dos instrumentos idiófonos, do tipo chocalhos. É feito de caniço fino ou de palha de uma planta chamada Txolhongue, entrançada como se fosse uma esteira e cujas pontas são unidas por corda, formando uma caixa oca. Dentro colocam-se sementes ou pedrinhas. Para tocar, pega-se o instrumento com ambas as mãos e agita-se. O Chiquitsi é bastante vulgar na província de Maputo, Gaza, Inhambane, Tete e Niassa.
chiquitsi
Chiquitsi
chipendani
Chipendane
Chipendane, é um arco musical pertencente ao grupo de instrumentos de corda. É composto por três partes: o arco de madeira, que possui uma saliência de forma cilíndrica; um fio de arame que está ligado ao meio do arco e uma varinha, que serve para bater no arame. Ao tocar, o músico coloca a boca sobre o arco, segurando a madeira entre os dentes, para fazer de caixa de ressonância. O Chipendane existe nas Províncias de Maputo, Gaza, Inhambane, Manica e Tete.


Chigovia, faz parte de um conjunto genérico de flautas, muito embora o seu formato   nos encaminhe logo para essa conclusão. É feito de um fruto redondo, que tanto pode ser massala, macuácua ou mabuma. No entanto, na ausência destes frutos, pode ser feito de barro. O número de orifícios pode variar e isto; é consoante a habilidade do tocador. Chigovia existe em abundância nas Províncias de Maputo, Gaza e Inhambane.

chigovia
Chigovia
piane
Phiane
Phiane é um instrumento idiófono, pertence ao subgrupo dos pianos de mão, composto apenas de arame e ferro, para tocá-lo, segura se o instrumento com uma das mãos e coloca- se entre os dentes servindo a boca de caixa de ressonância, com o indicador da outra mão, dedilha-se o arame. Usado em Maputo e Gaza.


tambores de tufo
Tambores de Tufo
Tambores de Tufo são instrumentos musicais da classe dos membranófonos nomeadamente, bazuca, ngajiza, apústua e duassi, podem ter forma quadrada, redonda, hexagonal, feitas de madeira, cobertas apenas de um lado, com pele de antílope e chapinhas metálicas, o tocador segura com uma mão enquanto com a outra percurte a membrana. Produzidas e tocadas na zona costeira de Nampula e Cabo Delgado.


tambores de mapiko
Tambores de Mapico
Tambores de Mapico são instrumentos musicais do tipo membranófono, com várias designações: ligoma, likuti, singanga, neya e ntoji. Todos são feitos a partir de troncos cavados, aberto dum lado com uma membrana de pele de animal, tocados por varetas e pelas mãos durante a dança de mapico. Exite só em Cabo Delgado (Mueda).


Xirupe é instrumento musical de tipo flauta, daí que é considerado aérofono ou de sopro constituído de cabaça de massala ou de fruto e de um caniço. O tocador segura o xirupe com a mão esquerda e sopra o orifício da cabaça ao mesmo tempo com os dedos da outra mão vai tapando e destapando os furos de caniço para variar o som.Tocado apenas nas províncias de Maputo e Gaza.
xirupe
Xirupe
tsundi
Tsudi
Tsudi é um instrumento aérofono do tipo flauta, em que o som é produzido pelo sopro do tocador, constituído por um tubo de caniço, com uma abertura na parte superior onde o tocador sopra. Fabricado e tocado nas províncias de Inhambane e Maputo.













Bibliografia:
http://www.micult.gov.mz/index.php?option=com_content&view=article&id=50&Itemid=52

No comments: