Monday, June 16, 2014

Património Mundial Cultural - Portugal

Zona Central da Angra do Heroísmo nos Açores (1983)
Situado numa das ilhas do arquipélago dos Açores, este era um dos pontos de comunicação obrigatórios desde o século XV até ao aparecimentos das embarcações a vapor, no século XIX. Os fortes de São Sebastião e São João Baptista são exmplos únicos de arquitetura militar. Danificado por um sismo em 1980, Angra está agora a ser restaurado.

Angra do Heroísmo
Convento de Cristo em Tomar (1983)
Originalmente desenhado como um monumento simbólico da reconquista, o convento de Cavaleiros dos Templários de Tomar (transferido para os Cavaleiros da Ordem de Cristo em 1344), o que simboliza precisamente o oposto do período Manuelino – a abertura de Portugal a outra civilizações.


Tomar
Mosteiro da Batalha (1983)
O mosteiro de dominicanos da Batalha, foi construído para comemorar a vitória dos portugueses contra os castelhanos na batalha da Aljubarrota em 1385. Tornou-se no principal projeto de construção da monarquia portuguesa nos dois séculos seguintes. Um estilo gótico nacional, extremamente original evoluiu, profundamente influenciado pela arte Manuelina, como demonstrado pela obra-prima, o Claustro Real.

Mosteiro da Batalha
Mosteiro de Jerónimos e Torre de Belém em Lisboa (1983)
Padrão dos Descobrimentos
Torre de Belém
Na entrada do porto de Lisboa, o Mosteiro de Jerónimos – construção que iniciou em 1502 – exemplifica a arte portuguesa no seu melhor. A Torre de Belém, na proximidade, construída para comemorar a expedição de Vasco da Gama, é uma lembrança das grandes descobertas marítimas que lançaram as bases para o mundo moderno.
Mosteiro de Jerónimos
Centro histórico de Évora (1986)
Esta cidade museu, cujas raízes remontam os tempos romanos, atingindo a sua idade do ouro no século XV, quando tornou-se a residência de um dos reis portugueses. A sua qualidade única provém das casas de branco, decorados com azulejos e varandas forjados de ferros datados do século XVI e XVIII. Os monumentos tiveram uma influência profunda na arquitetura portuguesa no Brasil.

Mosteiro de Alcobaça (1989)
O Mosteiro de Santa Maria d'Alcobaça, a norte de Lisboa, foi fundado no século XII pelo Rei D. Afonso I. O seu tamanho, a pureza do estilo de arquitetura, a beleza dos materiais e o cuidado com que foi construído faz com que seja uma obra-prima de art gótica cisterciense.

Mosteiro da Alcobaça
Paisagem Cultural de Sintra (1995)
Palácio da Pena, Sintra
No século XIX, Sintra tornou-se no primeiro centro de arquitetura europeia romântica. Fernando II tornou um mosteiro em ruinas num castelo com o uso de elemento góticos, egípcios, mouros, renascentistas e criou um parque misturando árvores locais e exóticas. Outras habitações refinadas construídas no mesmo sentido em redor da serra criam uma combinação única de parques e jardins que influenciaram o desenvolvimento da arquitetura paisagística por toda a Europa.


Centro histórico do Porto (1996)
A cidade do Porto, construída nas colinas que olham para a boca do Rio Douro, é uma paisagem urbana extraordinária com cerca de 1500 anos de história. O seu crescimento contínuo, associado ao mar, pode ser visto numa variedade de monumentos, desde catedrais com o coro romanesco até à Bolsa de Valores neoclássico e a igreja de Santa Clara de estilo Manuelino tipicamente português.

Porto
Locais de arte préhistórica em rochas no Vale Côa e Siega Verde (1998)
Dois locais de arte préhistórica em rochas no Vale Côa (Portugal) e Siega Verde (Espanha) estão localizados nas margens dos rios Águeda e Côa, afluentes do rio Douro, documentando ocupação humana contínua desde os finais da Era Paleolítica. Centenas de paineis com milhares de imagens de animais (5,000 em Foz Côa e cerca de 440 em Siega Verde) esculpidos ao longo de vários milénios, representando o conjunto de arte paleolítica ao ar livre mais notável da península ibérica.
Vale Côa e Siega Verde proporcionam a melhor ilustração de temas iconográficos e organização de arte paleolítica rochosa, usando os mesmos modos de expressão em caves e ao ar livre, contribuindo por isso para uma melhor compreensão deste fenómeno artístico. Juntos, formam um local único da era préhistórica, rico de evidência material do Paleolítico Superior.

Região vinícola do Alto Douro (2001)
Região vinícola
Vinho tem sido produzido tradicionalmente pelos proprietários na região do Alto Douro por cerca de 1500 anos. Desde o século XVIII, o seu principal produto, vinho do porto, tem sido famoso no mundo pela sua qualidade. Esta longa tradição de vinicultura produziu uma paisagem cultural de beleza extraordinária que reflete a sua evolução tecnológica, social e económica.

Rio Douro
Centro histórico de Guimarães (2001)
A cidade histórica de Guimarães está associada ao aparecimento da identidade nacional de Portugal no século XII. Um exeplo autêntico e particularmente bem preservado da transformação de um acordo medieval numa cidade moderna, com a tipologia rica de construções que exemplifica desenvolvimento específico de arquitetura portuguesa entre os séculos XV e XIX através do uso consistente de materiais e técnicas de construção.


Paisagem da Cultura Vinícola da Ilha do Pico (2004)
Ilha do Pico
O espaço de 987 hectares na ilha vulcânica do Pico, a segunda maior ilha do arquipélago dos Açores, consiste no padrão notável de longos muros lineares que foram construídos com o intuito de proteger os milhares de currais do vento e da água marinha. Prova desta vinicultura, cujas origens datam o século XV, manifesta-se numa número de campos reunidos, casas, mansões do início do século XIX, caves, igrejas e portos. A paisagem artificial extraoridnária do local é o que resta de uma área anteriormente de prática mais generalizada.

Guarnição da Fronteira da Cidade de Elvas e as Fortificações (2012)
O local, extensamente fortificado desde dos séculos XVII e XIX, representa a maior amurada com sistema de vala seca do mundo. Dentro das muralhas, a cidade contém quarteis e outros edifícios militares, bem como igrejas e mosteiros. Enquanto Elvas contém ruínas datados do século X, as fortificações iniciaram-se quando Portugal recuperou a independência em 1640. As fortificações desenhadas pelo padre jesuíta holandês Cosmander representa o melhor exemplo remanescente da escola holandesa de fortificações em qualquer lado. O local também contém o aqueduto da Amoreira, construído para permitir o forte aguentar longos cercos.

Cidade de Elvas
Universidade de Coimbra – Alta e Sofia (2013)

Localizado no topo da colina, com vista para a cidade, a Universidade de Coimbra cresceu e evoluiu ao longo de mais de sete séculos dentro da antiga cidade. Edifícios universitários notáveis incluem a Catedral da Santa Cruz, do século XII e várias faculdades do século XVI, o Palácio Real de Alcáçova, onde a universidade se encontra desde 1537, a Biblioteca Joanina com a sua rica decoração barroca, o Jardim Botânico do século XVIII e a Editora Universitária, bem como a “Cidade Universitária” criada nos anos 40s. Os edifícios da universidade tornaram-se numa referência no desenvolvimento de outras instituições de ensino superior no mundo da língua portuguesa. Coimbra oferece um exemplo de uma cidade universitária integrada com uma tipologia urbana específica bem como a sua própria tradição cultural e cerimonial que se mantém vivos ao longo dos tempos.





Bibliografia:
http://whc.unesco.org/en/statesparties/PT/

No comments: