Friday, October 03, 2014

ONU cria uma missão para uma Resposta Emergencial ao Ebola



A primeira vez na história, uma missão de emergência de saúde da ONU, a Missão das Nações Unidas para uma Resposta Emergencial ao Ebola (UNMEER) é criada em resposta ao surto do Ebola.

A missão tem como objetivo aproveitar as capacidades e competências de todos os setores das Nações Unidas, através de uma estrutura operacional unificada para reforçar ações rápidas,eficazes, eficientes e coerentes para a crise que se instalou no Oeste Africano. Por enquanto esta missão será temporária e irá responder às necessidades imediatas relacionadas à luta contra o Ebola.

Com o objetivo de conter este surto, as prioridades estratégicas desta missão serão impedir a disseminação da doença, tratar os infectados, assegurar os serviços essenciais, preservar a estabilidade e evitar a propagação aos países atualmente não afetados. Equipes foram enviadas para a Guiné, Libéria e Serra Leoa, bem como a sede da missão em Gana.

A UNMEER irá trabalhar em estreita colaboração com os governos e as estruturas nacionais nos países afetados, com os agentes regionais e internacionais, como a União Africano (UA) e da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), e com os Estados-Membros, o setor privado e a sociedade civil.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está responsável pela estratégia de saúde geral e aconselhamento dentro da missão, enquanto outras agências da ONU estão atuando dentro de suas áreas.

A missão em Accra espera mais de 10 000 casos em países afetados, por isso é necessário um plano para preparar esses países para conter o surto, capacitando-os para impulsionar uma resposta segura e para construir competências locais.

A OMS está sendo também  responsável pelo:

1- Rastreamento de contato
2- Isolamento e gerenciamento de casos
3- Envolvimento da comunidade e mudança de comportamento (UNICEF)
4- Proporcionar enterros seguros

Com estas ações, espera- se alcançar em 60 dias resultados de declínio das uma taxa de casos

70 %  de casos isolados 
70% dos enterros sendo realizados de maneira segura.

Planos estratégicos:

  • Acesso a novos medicamentos e vacinas
  • Concentrar as ações nos países afetados e suas fronteiras
  • Trabalhar junto com a comunidades e com os profissionais de saúde locais para acelerar o processo de ação em conter o surto.



Segundo o Diretor Geral da Nações Unidas, Ban Ki-moon, existe uma solidariedade sendo demonstrada por vários países. Agora, temos de desenvolver uma forma de entregar e distribuir essas reforços para as pessoas que têm uma necessidade imediata de ajuda.

O Enviado Especial da Nações Unidas para o Ebola disse, nesta semana na OMS, que este surto está corroendo estes a a cultura das sociedades afetadas, por isso estas pessoas devem ser ajudadas para lidar melhor com o fato de realizar um enterro diferente para lamentar seus familiares falecidos, nestas culturas a morte é um momento muito importante.

DADOS ATUAIS SOBRE O EBOLA:

A equipe do Sistema de Gerenciamento de Incidentes do Ebola e epidemiologia está auxiliando os ministérios da saúde e trabalhando com outras organizações para controlar e acabar com o atual surto de Ebola na África Ocidental.

 De acordo com a atualização mais recente da OMS, um total de 6.574 casos de Ebola foram notificados até o dia 23 de setembro nos cinco países afetados da África Ocidental:





A distribuição geográfica do número de casos de Ebola relatado durante o período de 31 agosto-23 setembro indica que as contagens recentes dos casos de Ebola continuam a ser elevados em áreas afetadas:




As últimas atualizações sobre o surto do Ebola no oeste  África ocorridos em 2014, incluindo a contagem de casos, estão disponíveis em http://www.cdc.gov/vhf/ebola/outbreaks/guinea/index.html.  

Acesse o Espaço Colaborativo Rede ePORTUGUÊSe para saber mais informações em português.

Fonte: http://www.who.int/csr/disease/ebola/en/


No comments: