Monday, January 19, 2015

Portugal - onde tudo começou para os 8 países de lingua portuguesa

Fonte da Imagem
As origens de Portugal, são na verdade as origens de todos nós que vivemos em um dos países de língua portuguesa.

Vamos entender nossas nossa cultura, os nossos modos de pensar e de agir...


Portugal nem sempre foi o pequeno retângulo de território banhado a ocidente e a sul pelas águas do oceano Atlântico como o conhecemos hoje!


As fronteiras da atual Lusitânia começaram a delinear-se muito cedo no seio da Península Ibérica. Foi aqui que há cerca de 1,2 milhões de anos, chegaram os primeiros homens. 
Eram nómadas e caçadores sempre a procura de alimentos para sua sobrevivência.


Fonte da imagem
 Se a Península Ibérica se isolava um pouco do Velho Continente (Europa) a norte pelo caráter montanhoso dos Pirineus, isso já não acontecia a sul.

Desde cedo, Portugal se tornou uma espécie de ligação entre a Europa e o norte de África e um centro importante para o comercio do Mediterrâneo, principalmente com a colónia fenícia de Cartago, no norte do continente africano. 


Fenícios e Romanos disputaram na Antiguidade esta zona pelo comércio do Mediterrâneo, durante as três Guerras Púnicas, após as quais a cidade de Cartago ficou destruída.

As Guerras Púnicas foram uma série de três guerras entre Roma e a República de Cartago, cidade-estado fenício, que duraram de 264 a.C a 146 a.C. Ao final das Guerras Púnicas, Cartago foi totalmente destruída.

A derrota dos cartagineses, entretanto, não garantiu a ocupação romana pacífica da Península Ibérica. A partir de 194 a.C. houve vários conflitos entre tribos nativas denominadas, genericamente, como Lusitanos. 

Estes conflitos estenderam-se até 138 a.C.

Fonte da Imagem
Nesse contexto, destaca-se um grupo de Lusitanos liderados por Viriato. 

Este grupo derrotou várias vezes as tropas romanas na região da periferia andaluza, o que fez de Viriato um mito da resistência peninsular.

Após a morte de Viriato, que foi traído por três companheiros, Roma intensificou a luta e marchou para o norte matando e destruindo tudo o que encontrava pela frente.
A península Ibérica ou Hispânia, nome dados pelos antigos romanos à esta região (Portugal, Espanha, Andorra, Gibraltar e uma pequena parte do sul da França) foi então dividida em duas províncias: Hispânia Citerior e Hispânia Ulterior. 


Neste processo de aculturação foram determinantes a expansão do latim e a fundação de várias cidades.

Durante os seis séculos de romanização registraram-se momentos de desenvolvimento mais ou menos acentuado, atenuando, sem dúvida, as diferenças étnicas dos povoamentos.

A língua latina acabou por se impor como língua oficial, funcionando como fator de ligação e de comunicação entre os vários povos. As povoações, até aí predominantemente nas montanhas, passaram a surgir nos vales ou planícies, habitando casas de tijolo cobertas com telha. Como exemplo de cidades que surgiram com os Romanos: Braga Beja, Santiago do Cacém, Coimbra e Chaves.


A indústria desenvolveu-se, sobretudo a olaria, minas, tecelagem, pedreiras, o que ajudou a desenvolver também o comércio com a circulação da moeda apoiado numa extensa rede viária (as famosas “calçadas romanas”, de que ainda há muitos vestígios no presente que ligava os principais centros de todo o Império.


A influência romana fez-se sentir também na religião e nas manifestações artísticas. Tratou-se, pois, de uma influência profunda, sobretudo a sul, zona primeiramente conquistada.





No comments: