Thursday, October 23, 2014

Outubro Rosa: Detecção Precoce do Câncer de mama


Toda pessoa deve saber quais são os sinais e sintomas do câncer de mama. Se qualquer anormalidade é descoberta, ela deve ser sempre investigada por um profissional de saúde.



A maioria das pessoas que têm sinais e sintomas de câncer de mama, inicialmente, observam apenas um ou dois sinais, e a presença deles não significa automaticamente que você tem a doença.


Ao realizar o auto-exame da mama mensalmente, você será capaz de identificar mais facilmente quaisquer mudanças em seu seio.
Certifique-se de falar com o seu profissional de saúde se você notar qualquer coisa fora do comum.

A mudança na forma de sentir a mama ou o mamilo


  • Um caroço ou inchaço na mama ou perto da mama ou axilas.
  • Alteração na textura da pele ou o alargamento de poros da pele da mama (textura semelhante a de uma casca de laranja).
  • Um nódulo na mama 
É importante lembrar que todos os nódulos devem ser investigados por um profissional de saúde, mas nem todos os nódulos são cancerosos.)

Uma alteração da aparência na mama ou no mamilo

  • Qualquer alteração inexplicada do tamanho ou forma da mama
  • Ondulações em qualquer lugar da mama
  • Inchaço inexplicável do peito (especialmente se apenas de um lado)
  • Encolhimento inexplicável de mama (principalmente se apenas de um lado)
  • Assimetria recentes das mamas (embora seja comum que as mulheres tenham um peito ligeiramente maior do que o outro, se o aparecimento de assimetria é recente, deve ser verificado.)
  • Mamilo ligeiramente voltado para dentro ou invertido
  • Pele da mama, aréola ou mamilo que se torna escamosa, vermelho ou inchado ou pode ter sulcos ou colocando parecida com a pele de uma laranja
  • Qualquer corrimento mamário, particularmente corrimento claro ou sangramento



UMA VEZ POR MÊS 



As mulheres adultas de todas as idades são incentivados a realizar auto-exames de mama pelo menos uma vez por mês. Estados do centro Johns Hopkins Medical,"Quarenta por cento dos cancros da mama diagnosticados são detectados por mulheres que sentem um nódulo, assim estabelecendo que um auto-exame da mama regularmente é muito importante".

Enquanto a mamografia pode ajudá-lo a detectar o câncer antes que você pode sentir um nódulo, o auto-exame da mama ajudá-lo a se familiarizar com a forma como os seus seios olhar e sentir que você pode alertar o seu médico se houver qualquer alteração.

O exame deve ser realizado?


1) NO CHUVEIRO
Usando as pontas dos seus dedos, palpar todo o seu peito em um padrão circular em movimento do lado de fora do centro, verificando toda a área da mama e axila. Verifique ambos os seios cada mês para qualquer alteração, espessamento da pele, ou nó endurecido. Observe as alterações e obtenha biopsias para avaliação pelo seu médico.





2) NA FRENTE DE UM ESPELHO

Inspecione visualmente os seios com os braços estendidos ao lado do corpo. Em seguida, levantar os braços acima da cabeça.

Procure quaisquer alterações no contorno, qualquer inchaço ou ondulações na pele, ou alterações nos mamilos. Em seguida, descansar as mãos em seus quadris e pressionar com firmeza para flexionar os músculos do peito. Os seios normalmente são assimétricos, por isso quaisquer alterações especialmente em um dos lados.

3) DEITADO NA CAMA

Quando deitado, o tecido mamário se espalha uniformemente ao longo da parede torácica. Coloque um travesseiro sob seu ombro direito e seu braço direito atrás da cabeça. Com a mão esquerda, mova suavemente as pontas dos seus dedos em torno de seu seio direito em pequenos movimentos circulares, cobrindo toda a área da mama e axila.
 Pressione levemente e intensifique progressivamente a força no toque. Aperte o mamilo, verifique se existe corrimento ou nódulos. Repita essas etapas para o seio esquerdo.

É O AUTO-EXAME DO PEITO SUFICIENTE PARA TER CERTEZA QUE NÃO TENHO CÂNCER DE MAMA?


A mamografia pode detectar tumores antes que estes produzam sintomas, portanto, o rastreio é a chave para a detecção precoce. 


Mas quando combinado com cuidados médicos regulares e mamografia adequada, os auto-exames de mama podem ajudar as mulheres a saber o que é normal para elas para que possam relatar quaisquer alterações ao seu médico.
Se você encontrar um nódulo, agende uma consulta com seu médico, mas não entre em pânico - 8 em cada 10 nódulos não são cancerosos. Para sua maior tranquilidade, contacte o seu médico sempre que tiver dúvidas.

Fonte: http://www.nationalbreastcancer.org/


Monday, October 20, 2014

Rede RUTE (Rede Universitária de Telemedicina)


Uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia do Brasil, apoiada pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e pela Associação Brasileira de Hospitais Universitários (Abrahue) e coordenada pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) 

O objetivo da Rede RUTE é melhorar a infraestrutura de comunicação para apoiar a telessaúde nos hospitais universitários brasileiros e criar formalmente Unidades de Telemedicina e Telessaúde, além de promover a integração dos projetos existentes nesta área. 



Sua implantação tem um enorme impactos científico, tecnológico, econômico e social para os serviços médicos, permitindo a adoção de medidas simples e de baixo custo, como a implantação de sistemas de análise de imagens médicas com diagnósticos remotos, que pode contribuir muito para diminuir a carência de especialistas, além de proporcionar treinamento e capacitação de profissionais da área médica sem deslocamento para os centros de referência.

Esta iniciativa é considerada a maior do mundo com 100 pontos de telemedicina operando em todo o Brasil.
A rede RUTE é responsável por 600 sessões de vídeo e webconferências por ano.

Um dos exemplos de grande sucesso são os SIG (Special Interest Groups, ou Grupos de interesse especial), em que os grupos criam uma agenda de debates e discussões de casos e alguns SIGs realizam diagnósticos e ensino à distância. São mais de 300 instituições participantes em cerca de 67 SIGs nas mais diversas especialidades e sub-especialidades, como: Psiquiatria, Cardiologia, Enfermagem, Oftalmologia, Dermatalogia, entre outras.

Exemplos de alguns SIGs

Descrição: O SIG promove a discussão de conhecimentos técnico-científicos na área da Toxicologia com ênfase no envenenamento por animais peçonhentos, discutindo diagnósticos, condutas e tratamentos, promovendo o aprimoramento científico na área, através do trabalho integrado com outros centros universitários. Criando condições através da telemedicina, para treinamento e atualização dos profissionais da área de saúde referente ao envenenamento por animais peçonhentos.
Área de estudo: Toxicologia
Especialidade:  Toxicologia

Descrição: Promover a difusão e atualização dos conhecimentos científicos na área de Atenção Primária à Saúde e Medicina de Família e Comunidade, utilizando recursos de tecnologia da informação e educação a distância.
Área de estudo: Discussão de tópicos relacionados à organização da Atenção Primária à Saúde e de casos complexos relativos à atividade clínica dos profissionais da SF e MFC.
Especialidade:  Saúde da Família

Descrição: O SIG Cardiologia reúne mais de 20 serviços em diferentes hospitais de ensino e tem, por finalidade, proporcionar discussões clínicas e sessões de atualização voltadas para o ensino, pesquisa e aprimoramento técnico das equipes. As atividades mensais são de responsabilidade das instituições participantes. Além destas ações o SIG reproduz reuniões de atualização do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia ou de outra instituição também interessada e previamente agendada.
Área de estudo: Doença aterosclerótica, proposta de ensino de cardiologia em diversas áreas
Especialidade:  Cardiologia

Descrição: Propõe-se a fomentar ensino, assistência de excelência e pesquisa na área de cardiologia pediátrica e cardiopatias congênitas do adulto. Por meio de discussões de casos, apresentações de palestras, discussões e discussões de estudos multicêntricos, desejamos que esses temas aumentem sua importância na assistência da criança cardiopata brasileira. A partir de agora, é uma atividade oficial do departamento de Cardiopatias Congênitas e Cardiologia pediátrica da Sociedade Brasileira de Cardiologia.
Área de estudo: Cardiologia pediátrica, Cardiopatias congênitas do adulto
Especialidade:  Outros

Descrição: Promover a educação continuada dos profissionais farmacêuticos visando o aprimoramento e a qualificação dos serviços farmacêuticos utilizando recursos de tecnologia da informação e educação à distância.
Área de estudo: Discussão de tópicos relacionados à Clínica Farmacêutica, Estudos de utilização de medicamentos, Interações medicamentosas, Farmacovigilância, Farmacoepidemiologia, Farmacoeconomia, Saúde Baseada em Evidência.
Especialidade:  Assistência Farmacêutica, Clínica Farmacêutica

Descrição: O SIG Enfermagem Intensiva e Alta Complexidade tem o objetivo de desenvolver um processo permanente de teleducação, integrando os profissionais de saúde por meio de temáticas relevantes à terapia intensiva e alta complexidade nos diversos níveis de atenção em saúde. O grupo possui representação em todos os estados brasileiros, Europa, Africa e Estados Unidos, totalizando 135 instituições entre universidade, hospitais, Postos de saúde, Unidades de pronto atendimento e SAMUS.
Área de estudo: Terapia intensiva, Emergencia, enfermagem, alta complexidade
Especialidade:  Enfermagem em Terapia Intensiva/Alta Complexidade

Descrição: Promover a difusão e discussão à distância de conhecimentos técnico-científicos na área da hanseníase, com uso de TICs, e videoconferência, sem excluir outras ferramentas síncronas ou assíncronas; Desenvolver trabalho cooperativo entre unidades de referência e serviços universitários para e uniformização de condutas e aprimoramento de boas práticas clínicas em relação ao diagnóstico, condutas terapêuticas vigilância epidemiológica, aplicadas ao ensino, pesquisa e extensão em hanseníase;
Área de estudo: Educação permanente em hanseníase por intermédio da discussão de casos clínicos e condutas terapêuticas, promoção de cursos de capacitação teórica e troca de informações atualizadas, utilizando os recursos disponíveis em mídias digitais e na internet, além de integração com outras redes, visando tanto o corpo docente e discente das unidades acadêmicas como para equipes multidisciplinares da Atenção Primária em Saúde (PSF e UBS).
Especialidade:  Hansenologia e áreas afins

Descrição: Promover discussões através de teleconferência para a elaboração de protocolos de pesquisa. Incentivar a elaboração e implementação de protocolos clínicos de investigação diagnóstica de infecções congênitas no âmbito das metodologias diagnósticas inovadoras em medicina fetal.
Área de estudo: Estimular o desenvolvimento de protocolos de pesquisa envolvendo grupos multidisciplinares na área de infecção congênita em gestantes e crianças, com enfoque na prevenção da transmissão vertical do HIV, no manejo de crianças e adolescentes portadoras do HIV; no manejo de gestantes infectadas com Toxoplasmose, Citomegalovírus – CMV, Staphylococcus aureus resistente a meticilina - MRSA, Streptococcus do Grupo B - EGB, HPV e Hepatites virais, e no acompanhamento das crianças infectadas, através da aplicação de tecnologias diagnósticas inovadoras com ênfase em medicina fetal, para o diagnóstico
Especialidade:  Obstetrícia

Descrição: Fomentar o intercâmbio de conhecimento e a transferência de tecnologia no campo da Medicina Fetal
Área de estudo: Este SIG nasceu da demanda da rede SUS com relação à difusão do conhecimento e desenvolvimento tecnológico no campo da Medicina Fetal. O Instituto Nacional de Saúde da Mulher, Criança e Adolescente Fernandes Figueira há mais de duas décadas vêm realizando assistência, ensino e pesquisa em Medicina Fetal, o que legitima o posicionamento de liderança do Instituto neste campo do conhecimento.
Especialidade:  Medicina Fetal

Descrição: O SIG Onco-Ginecologia, criado em 2009, é um canal de troca de informações entre grupos da área. A participação de profissionais de outras especialidades que atuam no diagnóstico e tratamento do câncer ginecológico é estimulada.Um projeto de diretrizes construído a partir das discussões poderá sistematizar as rotinas assistenciais entre os participantes, abrindo caminho para estudos colaborativos. As reuniões ocorrem na primeira quarta-feira do mês, às 13 horas. O SIG é coordenado pela ISCMPA.
Área de estudo: Oncoginecologia: diagnóstico e tratamento. Apresentação e discussão de casos clínicos
Especialidade:  Ginecologia

Descrição: Promover, a distancia, a difusão e atualização de conhecimentos em oncopediatria para alunos de graduação, pós graduação, residentes, médicos, enfermeiras, psicólogas, nutricionistas (multidisciplinar).
Área de estudo: Discussões baseadas em casos e revisão do assunto pertinente ao caso das doenças e tumores em oncopediatria.
Especialidade:  Oncologia pediátrica

Descrição: Promover, à distância, atualização do conhecimento técnico-científico na área de perinatologia, envolvendo o estudo da gestação normal e de alto-risco, da medicina fetal e da assistência ao recém-nascido no período neonatal. Possibilitar o intercâmbio de experiências com diferentes serviços, visando a melhoria da qualidade da assistência obstétrica e neonatal.
Área de estudo: Discussão de temas da Perinatologia, em sessões semanais, com 1 hora de duração, apresentados pelos professores e membros do corpo clínico da Maternidade Escola, bem como por convidados externos, sob a forma de conferências ou mesas redondas.
Especialidade:  Obstetrícia, Radiologia, Neonatologia

Descrição: Desenvolver um processo permanente de teleducação em Pneumologia (através de atividades à distância, como discussões clínicas, cursos, segunda opinião, etc.); Promover e desenvolver, de forma colaborativa, subsídios para ensino, assistência, pesquisa e extensão na área.
Área de estudo: Reuniões envolvendo o corpo assistencial, docentes e discentes de graduação e pós-graduação, latos e stricto-sensu, da instituição coordenadora e/ou participantes.
Especialidade:  Pneumologia

Descrição: O SIG RADPED (Radiologia Pediátrica), coordenado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), iniciou suas atividades em 2005 atuando na educação e na pesquisa colaborativa. Desde então, houve uma integração nacional e internacional incluindo aulas com temas de atualização, discussões de casos clínicos e seminários virtuais. As telesessões, sempre na primeira segunda-feira do mês (12-13h), são gravadas e disponibilizadas, para reutilização, em http://www.telessauderj.uerj.br/ava/
Especialidade:  Outros

Descrição: O SIG de RCP é coordenado pela Dra Fátima Geraldes, cardiologista e intensivista da Universidade Federal da Bahia(UFBA), foi criado em 2010 e atua, desde então, na RUTE, utilizando recursos de videoconferência, com a participação de equipes multidisciplinares e especialistas convidados, realizando discussão e divulgação de temas relacionados ao assunto, de novas diretrizes internacionais, facilitando, desta forma, a implementação e atualização do conhecimento relacionado.
Área de estudo: Ressuscitação Cardiopulmonar e assuntos relacionados
Especialidade:  Ressuscitação Cardiopulmonar

Descrição: O SIG Saúde da Criança e do Adolescente foi criado em 2008 com o objetivo de integrar profissionais de diversas Instituições nacionais e internacionais em discussões sobre temas relevantes à saúde de crianças e adolescentes brasileiros. As sessões de videoconferência ocorrem quinzenalmente, às quintas-feiras, das 11h às 12h, com transmissão simultânea pela Internet. O SIG é coordenado pelas Professoras Evelyn Eisenstein, da UERJ, e Suzy Cavalcante, da UFBA, através de uma parceria inovadora.
Área de estudo: Saúde da Criança e do Adolescente
Especialidade:  Saúde de Crianças e Adolescentes

Para conhecer os 67 SIGs (clique aqui).

A rede RUTE tem trabalhado com a Rede ePORTUGUÊSe para expandir seu acesso aos países de língua portuguesa.







Thursday, October 16, 2014

Rota dos Escravos - iniciativa da UNESCO

Fonte

O projeto “A Rota do Escravo: Lições do Passado, Valores para o Futuro” comemora este ano seu 20° aniversário. 

Desde 1994, esta iniciativa da UNESCO tem inspirado as lutas atuais contra o preconceito, a discriminação racial e todas as formas de escravidão que ainda atingem mais de 20 milhões de pessoas em todo o mundo.  

Surgiu de uma iniciativa do Haiti em conjunto com vários países africanos que fizeram parte da “Rota dos Escravos”.

“A rota do escravo não é apenas um evento do passado: é a nossa história e moldou o caráter de várias sociedades modernas, criou laços indissolúveis entre povos e continentes, e transformou de maneira irreversível o destino, a economia e a cultura de nações”, disse a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova.

O tráfico transatlântico de escravos figura entre as mais extremas violações dos direitos humanos de toda a história. 

Nesses 20 anos de história, o projeto tem destacado as transformações globais resultantes dessa tragédia, assim como tem ajudado na conscientização sobre a escravidão e suas consequências.

Fonte
Para celebrar os 20 anos deste projeto, o Governo de Cabo Verde, através de vários ministérios, vai realizar várias atividades que começam em setembro e vai até o dia 31 de dezembro  de 2014.

O objetivo  é envolver a população, provocar reflexões, expor documentos, organizar exposições,  exibir filmes sobre a escravatura e o tráfico negreiro em todas as ilhas e promover um fórum organizado pelo Ministério da Educação e Desporto que possa discutir o trafico de escravos nos programas escolares de ensino.

De acordo com o Ministro do Ensino Superior, Ciência e Inovação  de Cabo Verde, o que o que se quer não é revisitar o nosso passado com nostalgia, mas “encontrar um futuro com o nosso passado”,  que consiste na produção de obras científicas e pedagógicas e toda a nossa herança, que pode enriquecer a  oferta turística, a dimensão do turismo cultural e a imagem do país no mundo. 

Cabo Verde foi a primeira sociedade escravocrata, que soube desconstruir uma imagem negativa do que foi a escravatura.

O Ministro da Cultura, Mário Lúcio Sousa, também reconheceu o papel do país na historia da rota dos escravos, afirmando que Cabo Verde assumiu a posição de uma  plataforma desta rota, e que agora   o arquipélago deve recentrar a sua atenção e fazer com que os cabo-verdianos conheçam um pouco melhor da sua história.

Cabo Verde quer reconstruir a rota mundial do tráfico de escravos e fazer com que os cidadãos estejam conscientes da sua contribuição e herança para a formação da sociedade e da história mundial.

A lingua crioula nasceu em Cabo Verde e expandiu-se pelo mundo, representando um "grande contributo" para o desenvolvimento da humanidade e de novas línguas.

Curiosidades sobre os algumas Rotas dos Escravos:

Fonte

Rota de Angola

Essa rota foi responsável por cerca de 40% dos 10 milhões de africanos levados para as Américas. 
No caso do Brasil, os navios que partiam da costa dos atuais territórios do Congo e de Angola se destinavam principalmente aos portos de Recife, Salvador e Rio de Janeiro. 
Os povos da África Central Atlântica, como os ovimbundos, bacongos, ambundos e muxicongos, pertenciam ao chamado grupo linguístico banto, que reúne cerca de 450 línguas.

O tráfico dessa região para o Brasil começou ainda no século XVI. Foi inicialmente marcado pela aliança entre os portugueses e o reino do Congo. 

Mas, para escapar do monopólio do rei congolês no fornecimento de africanos escravizados, Portugal passou a concentrar esforços na região mais ao sul, onde hoje se situa Angola. 
De lá, veio a maior parte dos africanos que entraram no Brasil, principalmente pelo Rio de Janeiro, no período colonial.

Rota da Guiné

No século XVI, a Alta Guiné foi o principal núcleo de obtenção de africanos pelos traficantes portugueses. De Cabo Verde, saíam navios com cativos vindos principalmente da região onde hoje se situam Guiné-Bissau, Senegal, Mauritânia, Gâmbia, Serra Leoa, Libéria e Costa do Marfim. 
Essa área era habitada por diferentes povos, entre os quais os balantas, fulas, mandingas, manjacos, diolas, uolofes e sereres.
O destino desses povos eram as regiões Nordeste e Norte do Brasil. Mas a Rota da Guiné teve menor impacto sobre a formação da população brasileira do que as outras rotas, pois a necessidade de mão-de-obra nas Américas ainda era pequena no primeiro século da colonização.

Rota de Moçambique

No início do século XIX, a Inglaterra passou a pressionar Portugal no sentido de acabar com o tráfico de escravos, o que resultou nos tratados de 1810 entre os dois países. 

Para escapar ao controle britânico na maior parte do Atlântico, muitos traficantes se voltaram para uma rota até então pouco explorada, que partia da África Oriental. 

Os navios saíam principalmente dos portos de Lourenço Marques (atual Maputo), Inhambane e Quelimane, em Moçambique, e se dirigiam ao Rio de Janeiro.

Africanos embarcados nesses portos pertenciam a uma diversidade de povos, entre os quais os macuas, swazis, macondes e ngunis, e ganhavam no Brasil a designação geral de "moçambiques". 

Entre 18% a 27% da população africana no Rio do século XIX era de moçambiques. No entanto, nem todos vinham da colônia portuguesa e, sim de regiões vizinhas – onde hoje estão Quênia, Tanzânia, Malauí, Zâmbia, Zimbábue, África do Sul e Madagascar. 
O grupo linguístico majoritário era o banto.

Fonte: 


Monday, October 13, 2014

Mudanças Climáticas: uma oportunidade para a Saúde Pública - Fatos


Os participantes da primeira conferência da OMS sobre Saúde e Clima.
Foto: WHO/Violaine Martin


#Saúde&Clima
De 27 a 29 de agosto de 2014, a Organização Mundial da Saúde (OMS) organizou  a conferência global sobre saúde e clima.

Foto: WHO/Violain Martin

A OMS reuniu 400 delegações de todas as seis regiões (AFRO, AMRO/OPAS, SEARO, EURO, EMRO, WPRO) - incluindo autoridades governamentais de vários países, cientistas líderes nas áreas de Clima & saúde, e parceiros de desenvolvimento.


Fonte


Foto: WHO/Violaine Martin




As discussões contribuíram de maneira importante, clara e forte, para enfrentar as crescentes preocupações à respeito das mudanças climáticas, e em especial, a necessidade de desenvolver ações rápidas para diminuir os problemas gerados pelo aquecimento global.

As mudanças climáticas criam "riscos inaceitáveis" à saúde pública global destacando a escassez de água às mudanças no padrão das doenças.

Fatos:


Fonte 
O maior número de enchentes facilita a transmissão de doenças causadas por picadas de mosquitos, como a malária e a dengue.




Fonte
Apenas em 2012, a exposição a poluentes, dentro e fora dos ambientes fechados, foram responsáveis por 1 em cada 8 mortes no mundo.

Fonte

O aumento das temperaturas do planeta e os padrões variáveis de precipitações reduzem as colheitas e consequentemente compromete a segurança dos alimentos e promove a desnutrição. A falta de alimentos já contabiliza 3 milhões de mortes a cada ano nas regiões mais pobres do mundo.

Fonte
As mudanças climáticas causarão 250.000 mortes/ano adicionais entre 2030 e 2050 e a maioria das pessoas sofrerá de malária, diarreia, exposição ao calor excessivo e subnutrição, sendo os mais vulneráveis crianças e idosos.

Dra. Maria Neira,
especialista da OMS
 para Saúde e Ambiente
 
"Entretanto, estamos otimistas. Sabemos que enfrentar as mudanças climáticas pode gerar enormes benefícios importantes e imediatos para a saúde. Chegou a hora de traduzirmos nosso conhecimento em ação".
Um jovem representante entrega a Declaração sobre as Mudanças Climáticas à Dra. Margaret Chan, Diretora-Geral da OMS. Foto: WHO/Violaine Martin
Fonte

Durante a abertura da Conferência sobre Saúde e Clima, a OMS ressaltou a importância de ouvir aos jovens.

Afinal, não fazer nada contra as mudanças climáticas é uma violação dos direitos das crianças.

A Rede ePORTUGUÊSe também esteve presente neste evento e observou de perto a relevância deste tema para todos nós! 

Thursday, October 09, 2014

MEU MUNDO 2015: PARTICIPE!



A ONU, em parceria com a Fundação World Wide Web e o Instituto de Desenvolvimento Internacional, bem como com o apoio de parceiros em todo o planeta, estão realizando uma pesquisa para saber quais são as prioridades das pessoas, sociedade civil, setor privado, governos e comunidade científica na construção de um mundo melhor.

Os resultados desta pesquisa serão compartilhados com os líderes mundiais que estão trabalhando na agenda de desenvolvimento global pós-2015, que vai dar continuidade e ampliar os resultados já obtidos com Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, para enfrentar e combater as desigualdades que ainda existentes no nosso planeta.




A ONU quer que esta nova agenda resulte de um processo realmente aberto e inclusivo, que envolva pessoas de todas as partes do mundo e de todos os grupos sociais e, por isso, está realizando uma pesquisa mundial intitulada 'Meu Mundo 2015', criada como uma ferramenta para incluir a voz de todos neste diálogo global.

'Meu Mundo 2015' é uma pesquisa de múltipla escolha que permite a todos dizer às Nações Unidas e aos líderes globais quais devem ser os 6 principais
temas (de um total de 16) a serem tratados pela agenda pós-2015.

O que você considera mais importante para que a vida de todos seja melhor?

Monday, October 06, 2014

Outubro Rosa: mês de luta contra câncer de mama


"Outubro Rosa" é uma campanha de conscientização realizada no mês de outubro dirigida a sociedade e principalmente às mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

A história do "Outubro Rosa" remonta à última década do século 20, quando a Fundação Susan G. Komeno distribuiu um laço cor-de-rosa aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, em 1990. 


Obelisco do Ibirapuera
A primeira iniciativa no Brasil para apoiar o Outubro Rosa foi promovida em São Paulo, por um grupo de mulheres simpatizantes com a causa do câncer de mama. Elas conseguiram com o apoio de uma indústria de cométicos iluminar de rosa o Mausoléu do Soldado Constitucionalista (mais conhecido como o Obelisco do Ibirapuera). 

A popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo de forma bonita, elegante e feminina, motivando e unindo diversos países em torno desta causa. 

Por isso, a iluminação em rosa dos monumentos, praças e outros lugares assume um importante papel, pois tornou-se uma leitura visual, compreendida em qualquer lugar no mundo.

Monumentos iluminados de rosa no Brasil

O câncer de mama é um grupo heterogêneo de doenças, com comportamentos distintos. A heterogeneidade deste câncer pode ser observada pelas variadas manifestações clínicas, morfológicas e genéticas e consequentes diferenças nas respostas terapêuticas.

Na medida em que o rastreamento do câncer de mama for se tornando mais e  mais disponível para a população, espera-se que a doença seja diagnosticada cada vez mais cedo favorecendo um melhor prognóstico e mesmo a cura.

Destaca-se, no entanto, que mesmo nos países em que o rastreamento é feito de forma sistematica e com boa cobertura populacional, aproximadamente metade dos casos são detectados já em fase sintomática.

O câncer de mama é o mais mais comum nas mulheres e representa em torno de 25% de todos os casos de câncer no mundo.

Em 2012, foram aproximadamente 1,7 milhão de casos novos.

 É a quinta causa de morte por câncer em geral (522.000 óbitos) 

A causa mais frequente de morte por câncer em mulheres.

Simbolo da luta contra o câncer de mama


Este mês inteiro vamos destinar nosso espaço para dar informações sobre a importância da detecção precoce e o incentivo para que as mulheres conheçam suas mamas e possam   ficar atentas para           alterações suspeitas.







Você também poderá acompanhar as ações que ocorrem no Brasil através do facebook da nossa Rede ePORTUGUESe e também no Outubro Rosa




O importante é, na realidade, focar este sério assunto durante todo o ano, já que a doença é implacável e se faz presente não só no mês de outubro. No entanto, este mês é representativo para a causa, tornando-se especial e destacado dos demais.

Fonte: 

http://www.outubrorosa.org.br/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Outubro_Rosa
http://www.redecancer.org.br/
http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/agencianoticias/site/home/noticias/2014/vedacaoes_previstas_durante_periodo_eleitoral_exigem_conteudos_fiquem_inacessiveis