terça-feira, outubro 19, 2010

Série Escritores da Língua Portuguesa: Luís Cardoso de Noronha

LUÍS CARDOSO DE NORONHA

"Eu vivia numa ilha chamada Taurus, uma ilha mais pequena que o Timor, onde havia um desterrado político português - por oposição ao regime de [António de Oliveira] Salazar. Ele resolveu fazer uma padaria, o filho dele era meu colega. Meus pais não tinham dinheiro para comprar pão porque era um objeto de luxo. Os nativos, nós, os timorenses, comíamos batata-doce, mandioca... São essas coisas que faziam parte do nosso pequeno almoço (café da manhã).

Quando havia as redações, que se fazem nas escolas primárias, eu fazia sempre duas versões: uma versão pra mim e outra pra ele. Ele que era filho de português, e eu timorense. E como recompensa ele me dava um pão com manteiga. Foi assim, digamos, que passei a tomar o gosto de escrever em português"
(Luís Cardoso Noronha, em entrevista para a Editora Saraiva).




Nascido em 1959 em Cailaco, uma vila no interior de Timor Leste, Luís Cardoso cresceu falando uma mescla de calade, mambai e tétum. Depois de estudar em Dili, mudou-se para Portugal a fim de ingressar no Instituto Superior de Agronomia. Também estudou direito e depois ingressou no mestrado de políticas do meio ambiente.
Há aguns anos é professor de tétum.

Durante o período de ocupação indonésia, Luís vivia em Portugal e desenvolveu atividades políticas pró-independência e colaborou com a publicação de vários artigos e tradução de tantos outros. 

Até hoje está envolvido com movimentos associativos e culturais timorenses.

Crónica de uma Travessia é considerado o primeiro romance timorense e foi publicado em 1997. Foi traduzido para diversos idiomas incluindo o tétum.  Com uma narrativa cintilante, as palavras de Luis servem como instrumento de combate e resistência. 
Há nostalgia e registros por vezes trágicos da presença portuguesa na ilha e também o registro da invasão indonésia. Sua narrativa busca encontrar um destino - ou quiçá uma identidade - para Timor Leste.





video


Recomendamos:

- O artigo analítico "Luís Cardoso e a vivência da diáspora: nota sobre a literatura de Timor Leste", de Claudiany Pereira

Nenhum comentário: