Monday, December 02, 2013

25° aniversário do Dia Mundial da Luta Contra a AIDS/SIDA


A Organização das Nações Unidas luta contra a AIDS/SIDA
Em outubro de 1987, a Assembleia Mundial da Saúde, apoiada pela Organização das Nações Unidas (ONU), declarou 1º de dezembro o Dia Mundial da Luta Contra a AIDS/SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida). 


Todos os anos, o objetivo é reforçar a solidariedade, a tolerância, a compaixão e a compreensão em relação às pessoas infectadas pelo vírus do HIV (VIH).


O tema de 2013 é 
Chegar a ZERO: HIV/VIH e adolescentes


A falta de programas adequadas para darem suporte a adolescentes resultou em um aumento de 50% no número de mortes associadas à AIDS/SIDA entre adolescentes de 2005 a 2012. Durante o mesmo período, o número de mortes entre a população geral registrou uma queda de 30%. 


O HIV/VIH é transmitido toda vez que um fluído contaminado entra em contato com alguma área do corpo vulnerável a invasões, já que o vírus tem contato com a circulação sanguínea. As principais formas de transmissão do HIV/VIH são:


1) Relações sexuais sem proteção;
2) Transfusões com sangue contaminado;
3) Cortes ou picadas com instrumentos contaminadas, como agulhas e seringas;
4) Transmissão vertical (mãe para filho).


Medidas de prevenção muito simples, como o uso de preservativos em todas as relações sexuais, diminuem drasticamente o risco de infecção.


Fonte da imagem 

A prevenção permanece importantíssima, já que não há cura para AIDS/SIDA e a doença em muitos casos pode ser fatal. A AIDS/SIDA é considerada o estágio final do vírus HIV/VIH.


A epidemia do HIV/VIH

HIV e AIDS: um grande perigo 

Em 2012, cerca de 35,3 milhões de pessoas viviam com o vírus do HIV/VIH em todo o mundo. 






Desde o início da epidemia da AIDS/SIDA, cerca de 75 milhões de pessoas foram infectadas pelo vírus. 


Estima-se que cerca de 36 milhões de pessoas tenham morrido de complicações em consequência do HIV/VIH, que causa uma progressiva queda das defesas imunológicas, os mecanismos de defesa do corpo contra doenças. Assim, pessoas infectadas ficam susceptíveis a inúmeras infecções. 



Um terço das pessoas portadoras do vírus do HIV/VIH tem tuberculose, que é a principal causa de morte entre as pessoas infectadas. 


Essa é uma luta de todos nós
Apesar de 2,3 milhões de novas pessoas terem contraído o vírus em 2012, o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre AIDS/SIDA (UNAIDS) afirma que o número já foi muito maior e que houve um grande progresso na última década na luta contra a epidemia da doença. Em 2001, por exemplo, cerca de 3,4 milhões de pessoas foram contaminadas pelo vírus.


Entre 2001 e 2012 houve uma redução de 33% no número de casos de contaminação. A queda nas novas infecções pelo HIV/VIH é mais pronunciada entre crianças: durante o mesmo período, houve uma queda de 52% no número de infecções. 


Desde 2005, houve uma queda de 29% no número de mortes associadas à AIDS/SIDA. No entanto, adolescentes permanecem um dos grupos mais vulneráveis à transmissão do vírus e a mortes associadas a AIDS/SIDA. No mesmo período, houve um aumento de 50% no número de mortes associadas a doença entre adolescentes. 


Entre 2002 e 2012, o número de pessoas contaminadas com HIV/VIH que tem acesso à terapia antirretroviral expandiu mais de 40 vezes em todo mundo. 


No entanto, acabar com o estigma e a discriminação relacionados à doença permanece como um dos maiores obstáculos para se acabar com a epidemia da AIDS/SIDA.  


Por que o laço vermelho é o símbolo da luta contra a AIDS/SIDA?


O simbolismo do laço vermelho 
O laço vermelho é considerado o 
símbolo da solidariedade e do comprometimento na luta contra a AIDS/SIDA. 

Foi criado em 1991 pela Visual AIDS, grupo de profissionais de arte de Nova York, para homenagear amigos e colegas que haviam falecido em decorrência da AIDS/SIDA. 

O laço vermelho foi escolhido por ser um símbolo simples mas de grande impacto visual, pois representa a paixão, o coração, e o amor. O símbolo foi usado publicamente pela primeira vez pelo ator Jeremy Irons, na cerimônia de entrega do prêmio Tony Awards em 1991.





Compartilhe solidariedade!
O laço se tornou um símbolo popular entre celebridades e passou a ser reconhecido no mundo todo. A possibilidade de se tornar apenas um instrumento de marketing preocupou ativistas que temiam que a popularidade levasse à perda da força de seu significado. 
Mas, ao contrário disso, a imagem do laço continua sendo um forte símbolo na luta contra a AIDS/SIDA, reforçando a necessidade de ações, pesquisas e, principalmente, de solidariedade aos que vivem com o vírus do HIV/VIH.


A luta da ONU contra a AIDS/SIDA


Em 1996, foi criado o UNAIDS - Programa Conjunto das Nações Unidas sobre AIDS/SIDA, que busca contribuir para que países colaborem para o desenvolvimento de políticas mundiais contra a AIDS/SIDA. A sede do UNAIDS é em Genebra, em anexo à Organização Mundial da Saúde (OMS). 


Fontes
http://www.euro.who.int
http://www.who.int/en/
http://unaids.org




No comments: